Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Corrupção abre guerra na Justiça

"Se a senhora procuradora diz que há situações de má relação entre os investigadores da PJ e o Ministério Público, então que participe os casos em concreto. O que a doutora Cândida Almeida não pode fazer é justificar os inêxitos do Departamento Central de Investigação Penal (DCIAP) com o trabalho da PJ". Esta é a resposta de Carlos Anjos, presidente da Associação Sindical dos Funcionários de Investigação Criminal (ASFIC), às declarações da procuradora-geral adjunta feitas anteontem na Assembleia da República.
27 de Fevereiro de 2010 às 00:30
Carlos Anjos acusa Cândida Almeida de ter “forma mesquinha de agir”
Carlos Anjos acusa Cândida Almeida de ter “forma mesquinha de agir” FOTO: Pedro Catarino

Cândida Almeida, recorde-se, disse na Comissão Parlamentar para o acompanhamento do fenómeno da corrupção, que existem problemas "na área e com pessoas concretas". "Existem algumas pessoas [investigadores] que levam a mal que os magistrados peçam novos elementos para investigação", acrescentou a directora do DCIAP.

Carlos Anjos defendeu ontem a "participação dos casos em concreto". "Se for verdade, tendo em conta que os investigadores da PJ estão dependentes dos magistrados do Ministério Público, no mínimo dará origem a um ilícito disciplinar", garante o responsável, adiantando que "não existe nenhuma queixa contra o comportamento da PJ".

Recentemente, também o procurador-geral da República, Pinto Monteiro, tinha afirmado numa comissão parlamentar que a colaboração entre o Ministério Público e a Polícia Judiciária não era das melhores.

No entanto, Carlos Anjos defende que a relação da Unidade Nacional de Combate à Corrupção com os vários departamentos do DCIAP é "excelente", mas "parece que a doutora Cândida Almeida quer que os seus processos tenham tratamento diferencial e que sejam tratados à frente de outros".

Lamentando que a procuradora-geral adjunta tenha "optado por este caminho, assente em suspeições, o presidente da ASFIC condena ainda "esta forma muito mesquinha e baixa de agir".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)