Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Covilhã: Direcção da Misericórdia demite-se

A mesa administrativa da Santa Casa da Misericórdia da Covilhã que pretendia reduzir salários para sanear as contas da instituição, demitiu-se, anunciou esta segunda-feira em comunicado afixado nas instalações.
5 de Dezembro de 2011 às 14:23

De acordo com o comunicado, a mesa presidida pelo médico Carlos Casteleiro reuniu-se no dia 30 de Novembro e concluiu "não estarem reunidas as condições" para continuar em funções, pelo que "entendeu apresentar a demissão ao presidente da assembleia-geral".

A demissão foi apresentada na sexta-feira, dia 2, e o comunicado tornado público esta manhã.

Carlos Casteleiro anunciou em Novembro que os trabalhadores teriam de abdicar de pelo menos 10 por cento do salário, durante dois anos, e ficar sem subsídios de férias e Natal, caso contrário seriam despedidas 30 a 40 pessoas das 130 que ali trabalham.

As medidas, que abrangeriam também os funcionários com salário mínimo, eram justificadas com a necessidade se evitar a falência da Misericórdia, que segundo aquele responsável soma um passivo de cinco milhões de euros.

As medidas foram contestadas pelos trabalhadores e sindicato, que pedem que sejam apuradas responsabilidades sobre a gestão da Misericórdia.

Carlos Bicho, dirigente do Sindicato da Função Pública, lamentou que "a mesa tenha optado pela demissão: em vez de contribuir para uma solução, só veio agravar o problema".

Segundo refere Carlos Bicho, "foi revelada uma incapacidade absoluta para encontrar soluções dentro do quadro legal".

A Santa Casa da Misericórdia da Covilhã engloba dois infantários, um  lar de idosos e um centro de meios de diagnóstico de saúde.

Santa Casa Demissão Salários Contas
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)