Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Cozinheira morta em restaurante de Lisboa (COM VÍDEO)

O restaurante Prova dos 9 fechou às 15h00, após os almoços. Augusta, ajudante de cozinha, de 29 anos, ficou sozinha no estabelecimento a preparar os jantares. Pelas 19h00 de quinta-feira, Pedro Martins, o primeiro funcionário a regressar ao trabalho, deparou-se com a colega no chão da casa de banho, inconsciente e numa poça de sangue.
4 de Fevereiro de 2012 às 01:00
Polícia Judiciária esteve no local no crime, na Rua Alexandre Fleming, a recolher vestígios
Polícia Judiciária esteve no local no crime, na Rua Alexandre Fleming, a recolher vestígios FOTO: Vítor Mota

"Era a alma da cozinha. Ninguém sabe o que aconteceu ao certo, mas foi algo dirigido a ela. Não roubaram nem mexeram em nada no restaurante", explicou ao CM João Silva, proprietário do estabelecimento há quatro meses.

Fonte do INEM adiantou ao CM que a vítima foi encontrada com bastante sangue na cabeça e com um traumatismo profundo na face. O corpo já apresentava rigidez cadavérica, o que aponta para que a morte tenha ocorrido logo após as 15 horas.

Segundo o CM apurou, a vítima foi alvo de sete facadas na zona da cabeça e os indícios recolhidos pela Polícia Judiciária apontam para um cenário de homicídio passional.

"ERA UMA MULHER ALEGRE E TRABALHADORA"

Augusta estava em Portugal há mais de dez anos e trabalhava no Prova dos 9 há quatro. Segundo as colegas de um restaurante próximo "era uma mulher trabalhadora e muito alegre", que "fazia tudo para dar uma vida melhor aos filhos, de dois e sete anos". Na rua Alexandre Fleming, Augusta era conhecida por ter "sempre um sorriso na cara" e cumprimentar "toda a gente". De acordo com as mesmas fontes, não eram conhecidos problemas familiares, mas todos admitem que Augusta "não se abria muito".

Laranjeiras homicídio
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)