Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Creche em Braga fecha até dia 1

Há salários em atraso. Pais de 34 crianças sem solução.
Liliana Rodrigues 27 de Novembro de 2017 às 09:09
A creche 31 de Janeiro funciona em Braga e tem oito funcionárias
A creche 31 de Janeiro funciona em Braga e tem oito funcionárias
A creche 31 de Janeiro funciona em Braga e tem oito funcionárias
A creche 31 de Janeiro funciona em Braga e tem oito funcionárias
A creche 31 de Janeiro funciona em Braga e tem oito funcionárias
A creche 31 de Janeiro funciona em Braga e tem oito funcionárias
A creche 31 de Janeiro funciona em Braga e tem oito funcionárias
A creche 31 de Janeiro funciona em Braga e tem oito funcionárias
A creche 31 de Janeiro funciona em Braga e tem oito funcionárias
"Se a Segurança Social (SS) não fizer acordos connosco, não temos outra hipótese a não ser fechar portas. E já no fim deste mês". A certeza é de Francisco Carvalho, o tesoureiro da creche 31 de Janeiro, em Braga, que tem a seu encargo 34 crianças com idades entre os quatro meses e os quatro anos. Os pais estão desesperados, sem soluções à vista.

A creche esteve envolvida numa polémica e Francisco Carvalho - que foi presidente da associação que gere a creche - foi condenado a pena suspensa, em primeira instância, por burla à Segurança Social. A mulher - que agora assume a presidência da associação - foi sentenciada pelo mesmo crime e por outro, de coação. A pena é de quatro anos de cadeia, igualmente suspensa.

"Soubemos agora que vão fechar a creche em 3 ou 4 dias. E os nosso filhos? O que vamos fazer? Se há uma guerra com a Segurança Social, não podem ser as crianças a sofrer", disse um encarregado de educação.

"As oito funcionárias têm dois salários em atraso. Não há dinheiro para continuar, não temos alternativa. O novo diretor da SS prometeu tudo, mas nada fez", diz Francisco Carvalho.

PORMENORES 
Sem apoio 32 meses
Desde março de 2015 que a creche não tem protocolos com a Segurança Social, depois de descoberto o esquema de inserção de utentes fictícios nas listas de pagamentos do Estado. O CM pediu esclarecimentos à SS.

Burla de 21 mil euros
Entre 2011 e 2015, a creche recebeu 21 mil euros indevidos da Segurança Social. Francisco Carvalho foi condenado a um ano e noves meses de pena suspensa por burla, mas garante que a pena foi anulada pela Relação. A mulher foi sentenciada com 4 anos, suspensos.
Segurança Social SS Francisco Carvalho presidente tesoureiro Braga Estado questões sociais trabalho
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)