Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

CRIANÇA PARTILHADA

O Tribunal de Porto de Mós homologou ontem o acordo que confere o exercício do poder paternal conjunto aos pais do menino de três anos 'resgatado' pela mãe num aeroporto da África do Sul.
8 de Outubro de 2004 às 00:00
Os pais à saída da conferência de exercício do poder paternal, homologado pelo Tribunal
Os pais à saída da conferência de exercício do poder paternal, homologado pelo Tribunal FOTO: Isabel Jordão
Após três horas a esgrimir argumentos, o casal chegou a um consenso. A educação do pequeno Ernâni Júnior será repartida pelos dois e o pai, Ricardo Gomes, terá direito a estar com o filho pelo menos de dois em dois dias. Para isso, terá de deixar a África do Sul, onde está emigrado desde 1998.
"Foi a solução possível neste momento", afirmou o empresário, manifestando-se disposto a regressar definitivamente a Portugal para poder estar com o filho e "acompanhar o seu crescimento".
Segundo Paula Teodósio, advogada de Ricardo Gomes, "houve muita resistência por parte da mãe", mas após a conferência de partes foi possível encontrar uma plataforma de entendimento que permite ao pai "ter uma palavra a dizer" na educação do pequeno Ernâni.
O casal está separado há dois anos, altura em que Rosa Gomes decidiu regressar à Batalha, trazendo o filho. Em Janeiro, Ricardo Gomes pediu para ir jantar com o menino e levou-o para Joanesburgo.
A mãe queixou-se às autoridades e o Tribunal atribuiu-lhe a custódia provisória do filho, em Julho passado. Munida da sentença, Rosa Gomes viajou para a África do Sul à procura do filho e conseguiu 'resgatá-lo', a 14 Setembro, ao ex-marido, quando este se preparava para partir de avião com a criança.
Ontem, à saída do Tribunal de Porto de Mós, a mulher limitou-se a confirmar o "mútuo acordo" sobre o poder paternal do filho, recusando-se a tecer mais comentários.
Pelo contrário, Ricardo Gomes revelou-se satisfeito por ter a oportunidade de acompanhar de perto o desenvolvimento de Ernâni Júnior. "Este ano, já posso passar a noite de Natal com o meu filho", acrescentou.
Com o acordo ratificado ontem pelas instâncias judiciais, o empresário tem direito a estar com o filho o dia inteiro, aos domingos, de 15 em 15 dias. Às terças e quintas-feiras, pode visitar o menino durante hora e meia, tendo ainda a possibilidade de almoçar com ele à sexta-feira, quinzenalmente.
Ricardo Gomes tem negócios em Joanesburgo, mas vai regressar a Portugal para poder acompanhar o filho de perto.
"Quero que o meu filho esteja feliz e vou fazer tudo para minimizar os seus traumas, principalmente os resultantes do que aconteceu no aeroporto, quando fui rodeado por 20 pessoas para me tirarem o menino", concluiu o empresário.
MOMENTOS-CHAVE
FUGA
Em Janeiro deste ano, o pequeno Ernâni foi levado pelo pai para África do Sul, sem o consentimento da mãe. Oito meses depois, Rosa Gomes consegue encontrar o ex-marido no aeroporto de Joanesburgo e ‘resgatar’ a criança.
CUSTÓDIA
A custódia provisória do menino foi atribuída pelo Tribunal de Porto de Mós a Rosa Gomes, em Julho. Ricardo Gomes alega que nunca chegou a ser notificado para estar presente na conferência de pais.
PROVISÓRIO
O acordo celebrado ontem pelos pais do Ernâni Júnior pode ser alterado sempre que estejam em causa os interesses da criança. O casal vai avançar agora com a acção de divórcio.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)