Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

CRIANÇAS QUEIXAM-SE DE ASSÉDIO

Seis crianças do sexo feminino, com idades compreendidas entre os 7 e os 14 anos, queixam-se de terem sido assediadas sexualmente por um funcionário da escola que frequentavam, ‘Asilo da Gândara’, em Cucujães, Oliveira de Azeméis.
19 de Outubro de 2002 às 00:00
Os encarregados de educação apresentaram queixa no Ministério Público.

Manuel Costa, pai de uma das crianças, contou ao CM que "a queixa partiu de duas crianças de 7 anos que, em Junho, frequentavam a escola, e que contaram aos pais que o funcionário as aliciava com guloseimas e as convidava para irem até ao local onde trabalhava. Aí, pedia-lhes para tirarem a roupa e tentava tocar-lhes”. Ao tomar conhecimento desta situação, Manuel Costa questionou a filha, actualmente com 14 anos, que confirmou que “isso também lhe aconteceu e, na altura, ela tinha apenas 9 anos”, acrescenta.

Perante esta situação, os pais das crianças tiveram uma reunião com a administração da Fundação Condessa da Penha Longa, proprietária da escola, onde lhes foi dito que “era impossível isso ter acontecido e que as crianças estavam a inventar tudo”, conta o encarregado de educação. Neste encontro, os pais exigiram que o funcionário fosse despedido, o que viria a acontecer cerca de mês e meio depois.

A advogada da instituição, Manuela Rebelo, afirmou que foi instaurado um processo disciplinar ao funcionário, um homem de 52 anos, que trabalhava no local há mais de duas décadas, “que resultou no seu despedimento por justa causa”. No entanto, a advogada não revelou se o despedimento estaria ou não relacionado com as queixas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)