Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

"Crianças estão de luto profundo"

Filhos de Lídia Leitão sofrem com morte da mãe. A partir desta segunda-feira podem vir para Portugal.
Magali Pinto 17 de Novembro de 2014 às 00:31
Três portugueses morreram no início do mês
Três portugueses morreram no início do mês FOTO: Urs Flueeler/EPA

Os filhos de Lídia Leitão, assassinada no dia 3 deste mês, em Wilderswil, na Suíça, têm estado a ser apoiados por psicólogos da Segurança Social de Berna, mas a dor não passa. "As crianças estão de luto profundo. Estão com o avô materno e com o tio e estão em muito boas mãos. Além disso têm sido apoiadas por outros familiares e isso é o mais importante", disse Marianna Lehmann, presidente do município de Wilderswil, que tem estado a apoiar os três filhos de Lída de 7, 16 e 20 anos.

Recorde-se que a mulher, de 38 anos, foi assassinada à porta de casa pelo ex-companheiro, Alípio Pereira. Jerónimo, casado há apenas três meses com Lídia, também morreu quando tentou evitar a morte da mulher.

"Eles têm sido mantidos num ambiente absolutamente perfeito, como eles precisam. Mas ainda há muitas decisões abertas e é preciso ter muito cuidado", disse Marianna Lehmann. E acrescentou que a conta criada em favor dos órfãos rendeu em menos de um mês cerca de dois mil euros. A missa em memória das vítimas rendeu 1500 euros. O dinheiro está a ser canalizado para ajudar as crianças "É uma contribuição mensal para a subsistência dos órfãos, para material escolar e ajuda psicológica".

A partir de hoje os dois irmãos mais novos têm autorização para regressar a Portugal com os avós maternos. Vão viver nas Caldas da Rainha.

O corpo de Alípio Pereira, o homicida, foi cremado. O do Jerónimo já está libertado para vir para Portugal.

Lídia Leitão Suíça Marianna Lehmann Alípio Pereira Portugal crianças luto crime homicídio
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)