Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Deficientes das Forças Armadas perdem próteses

Ministério da Defesa diz que a situação vai ser normalizada.
António Sérgio Azenha 25 de Agosto de 2016 às 08:26
Azeredo Lopes, ministro da Defesa
Azeredo Lopes, ministro da Defesa FOTO: Tiago Petinga/Lusa
O Ministério da Defesa deixou os deficientes das Forças Armadas sem próteses e outros produtos de apoio à saúde durante cerca de um mês. Segundo José Arruda, presidente da Associação dos Deficientes das Forças Armadas (ADFA), em julho passado, a ADFA "alertou diretamente o Chefe do Estado Maior General das Forças Armadas, Pina Monteiro, para o problema".

Em causa, segundo fontes militares, estava o facto de o Laboratório Militar de Produtos Químicos e Farmacêuticos (LMPQF) ter deixado de fornecer a esses deficientes próteses e outros produtos de apoio à saúde devido a uma dívida do Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA).

Ontem, o Ministério da Defesa garantiu ao CM que "a dívida está liquidada e o LMPQF está a repor a situação com a melhor brevidade".

Ao laboratório foi paga uma dívida de quase dois milhões de euros que, segundo o Ministério da Defesa, resultou de "um atraso no processamento de pagamentos devido a questões funcionais." Na próxima semana, o presidente da ADFA espera ser recebido pelo secretário de Estado da Defesa, Marcos Perestrello.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)