Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

“Depositei cheques”

"Eu depositei vários cheques nas minhas contas para poder adiantar os valores em dinheiro à tesouraria da câmara". A ex-vereadora do Pelouro da Educação na Câmara do Porto, Ernestina Miranda, explicou-se ontem assim no Tribunal de S. João Novo. Foi chamada como testemunha depois de na última audiência o funcionário que está a ser julgado por peculato dizer: "A culpa é da vereadora que ficava com o dinheiro".
17 de Março de 2009 às 00:30
Domingos diz que “a culpa é da vereadora” que “ficava com o dinheiro”
Domingos diz que “a culpa é da vereadora” que “ficava com o dinheiro” FOTO: Gisela Caridade

Domingos Cerqueira, 59 anos, é acusado de ter desviado cerca de 98 mil euros, manipulando os mapas de facturação de pagamento de refeições enquanto foi almoxarife e responsável pela gestão municipal de apoio aos refeitórios escolares.

Segundo a acusação, entre 1990 e 2002, o funcionário recolhia as verbas das escolas, mas não declarava depois todo o dinheiro. Fazia corresponder as guias apenas aos valores que entregava. "Eu sempre confiei nele e nunca detectei nada que me fizesse suspeitar", referiu a então vereadora que chegou a ser acusada pelo MP, mas depois não foi pronunciada para ir a julgamento por falta de provas.

O colectivo de juízes ouviu ontem vários professores responsáveis pelas escolas em questão à altura dos factos. "Passei cheque à ordem da Câmara, mas a vereadora disse para passar no nome dela", disse a assistente social de um jardim-de-infância.

Ernestina Miranda, que cessou funções em 2002, explicou que o dinheiro passava pelas suas contas para "ser financeiramente mais fácil", uma vez que "a tesouraria tinha regras rígidas e só aceitava os cheques, que muitas vezes vinham com atrasos, durante três dias".

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)