Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Derrame de gasóleo ao longo de 34 quilómetros

Um camião derramou ontem gasóleo ao longo de 34 quilómetros da auto-estrada Porto-Valença (A3), obrigando ao corte da via durante nove horas, entre os nós de Cruz, Vila Nova de Famalicão e Anais, Ponte de Lima. A situação provocou um verdadeiro caos no trânsito rodoviário da região. O piso escorregadio terá estado na origem de, pelo menos, sete despistes de automóveis.
19 de Janeiro de 2007 às 00:00
A operação de limpeza do gasóleo derramado obrigou a fechar a A3 entre os nós de Anais e Cruz
A operação de limpeza do gasóleo derramado obrigou a fechar a A3 entre os nós de Anais e Cruz FOTO: Sérgio Freitas
Segundo fonte policial, o derrame de combustível ter-se-á iniciado por volta das 10h00, poucos quilómetros a norte do nó de Cruz, devido a um problema num tubo de ligação ao depósito do camião com atrelado, pertencente a uma empresa da Amadora e que transportava automóveis ligeiros, na direcção Sul-Norte da A3.
O camião saiu da auto-estrada em Anais, percorrendo ainda mais oito quilómetros nas estradas nacionais 202 e 308, antes de ser interceptado por uma patrulha da GNR de S. Julião do Freixo, já em Calvelo, no concelho de Ponte de Lima.
Fonte policial referiu que o condutor foi identificado, sendo apontado como suspeito do derrame. A mesma fonte adiantou que o motorista do camião alegou desconhecer o problema que levou à perda de cerca de metade do combustível que se encontrava no depósito, com capacidade para cerca de 400 litros.
Na sequência do derrame de gasóleo e devido ao piso escorregadio – ainda para mais num dia de chuva contínua – seis automóveis despistaram-se na auto-estrada, tendo-se registado ainda um sétimo acidente na EN308, antes de a estrada ser cortada ao trânsito.
O percurso Sul-Norte da A3 entre Cruz e Anais teve de ser encerrado para operações de limpeza, que prosseguiram ao início da noite de ontem, terminando cerca das 19h00. “Não foi uma operação complicada, mas foi extremamente demorada porque são mais de 30 quilómetros que têm de ser lavados, praticamente a pé”, explicou fonte da BT.
O piso teve de ser aspergido com um produto químico designado de ATS – com capacidade de absorção do gasóleo – e depois lavado com recurso a autotanques dos bombeiros de Braga, Famalicão, Barcelos e Ponte de Lima.
Agentes da Brigada de Trânsito encaminharam os automobilistas para percursos alternativos, provocando o caos nas estradas nacionais, sobretudo na EN14, entre Vila Nova de Famalicão e Braga.
INAUGURAÇÃO HOJE DA ÁREA DE OVAR
É hoje inaugurada a área de serviço de Ovar, da concessão Costa de Prata, da A29, que liga Gaia a Estarreja.
A cerimónia oficial, marcada para as 13h30, é presidida por António Pinelo, vice-presidente da EP-Estradas de Portugal, estando previstas intervenções de Luís Parreirão, presidente do CA do grupo Aenor e do presidente da Câmara de Ovar, Manuel Alves Oliveira.
A auto-estrada 29, tal como, de resto, a A17, que liga Aveiro a Mira, estão debaixo de contestação pelos utentes que querem impedir a introdução de portagens nestas duas vias, alegando que não existem verdadeiras alternativas para aqueles percursos através de estradas nacionais em boas condições.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)