Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

DESCALABRO NOS EXAMES

As médias das provas na 2.ª fase dos Exames Nacionais do Ensino Secundário ficaram abaixo dos dez valores, à excepção de Filosofia, Sociologia e Desenho e Geometria Descritiva A, segundo dados oficiais divulgados ontem.
24 de Setembro de 2003 às 00:00
Matemática e Física registam os piores resultados
Matemática e Física registam os piores resultados FOTO: Jorge Paula
Um relatório do Ministério da Educação sobre os exames a 18 disciplinas na segunda fase revela que Física voltou a ter a média mais baixa (6 valores), seguida da Matemática (6,1 valores) e de Geologia (7,1 valores).
Na 1.ª fase dos exames nacionais (com duas chamadas), Física destacou-se também pela negativa, uma vez que os alunos que realizaram a prova tiveram a mais baixa classificação média dos últimos três anos . Em Física, estavam inscritos 9270 alunos mas apenas se realizaram 6586 provas.
Também a disciplina de Matemática, com o maior número de inscrições (30 288 alunos), voltou a registar média negativa quer na 1.ª fase dos exames quer agora na 2.ª fase.
Na 1.ª fase dos exames nacionais do ensino secundário os alunos que realizaram a prova de Matemática tiveram uma classificação média de 7,7 valores, baixando agora, na 2.ª fase, para os 6,1 valores. No ano passado esses valores foram de 7 e 4,1, respectivamente.
MÉDIAS EM 2002
Em 2002, as médias das notas foram de 7 valores na primeira fase dos exames e de 4,1 valores na segunda fase.
A disciplina de Desenho e Geometria Descritiva A, que agora se destaca pela positiva, tem registado ao longo dos últimos dois anos uma clara melhoria. Os alunos que realizaram esta prova em 2002 tiveram 12 valores na 1.ª fase e 7,1 na segunda, enquanto este ano as notas dispararam para os 12,2 na 1ª fase e os 11 valores na 2.º fase.
A segunda fase dos Exames Nacionais, constituída por chamada única, decorreu em 620 estabelecimentos de ensino. Do total de 136 477 inscrições para exame da 2.ª fase, realizaram-se 91.925 provas, que correspondem a 67% das inscrições.
MAIS CEDO NO SUPERIOR
No próximo no lectivo os candidados às universidades e politécnicos ficarão colocados até final de Setembro, iniciando as aulas mais cedo, anunciou o ministro da Ciência e Ensino Superior.
Pedro Lynce anunciou ainda que vai ser eliminada a terceira candidatura ao ensino superior (a nível local), passando a existir apenas duas fases. Esta medida, explicou Pedro Lynce, surge na sequência de um dado revelado pelos resultados da 1ª fase da candidatura para o ano lectivo de 2003/2004 que aponta para a colocação de 87% dos candidatos.
Pronunciando-se sobre os resultados das candidaturas, Pedro Lynce manifestou preocupação com a pouca procura dos cursos ns áreas das Ciências e das Tecnologias, onde as vagas ultrapassam o número de candidatos.
O ministro alertou para a urgente necessidade de Portugal formar licenciados nestas áreas, acompanhando assim a estratégia europeia de até 2010 aumentar em 15% os diplomados.
O Correio da Manhã publica hoje um caderno especial dedicado ao Ensino Superior.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)