Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Desmantelado laboratório da nova droga do sexo

Um homem de 34 anos foi ontem detido em Viana do Castelo, por suspeita de produzir e traficar uma das drogas mais perigosas do Mundo. O suspeito é apontado como o fornecedor da metanfetamina Ice, uma droga nova em Portugal e que tem aparecido nos últimos meses na zona de Lisboa. A Polícia Judiciária acredita ainda que o traficante fornecia também mercado internacional, nomeadamente Espanha e França.
23 de Março de 2007 às 00:00
Trata-se da primeira vez que é descoberto e desmantelado em Portugal um laboratório deste tipo de droga sintética, o que vem confirmar o aumento galopante da procura deste tipo de produtos, altamente lesivos para o sistema imunitário e originário dos Estados Unidos. Conhecido também como ‘droga do sexo’, o Ice é muito usado em festas de grupo e para intensificar a actividade sexual.
No laboratório em Viana do Castelo, a Polícia Judiciária de Braga apreendeu uma quantidade elevada de produtos diversos usados na composição do Ice que ainda estão a ser alvo de análise. Ainda assim, fonte ligada ao processo adiantou ao Correio da Manhã que o material apreendido seria suficiente para “milhares de doses individuais”.
“É um laboratório que estava a funcionar em Viana do Castelo há alguns meses”, explicou a mesma fonte, revelando ainda que, graças à investigação e com base num mandado judicial, foi possível apreender numa estação dos CTT em Viana uma encomenda com drogas sintéticas que o suspeito tinha já entregue com destino postal para França.
A PJ de Braga vai prosseguir a operação, admitindo o envolvimento de outros suspeitos na rede, que nos últimos meses terá produzido “vários quilogramas” de Ice destinados sobretudo ao “mercado ilícito espanhol e para a zona de Lisboa”, para além do abastecimento no Minho e no Porto, “em menores quantidades”. O detido ficou em liberdade por ordem do tribunal.
Fonte da Guardia Civil de Santiago de Compostela disse ao CM que “a circulação deste tipo de drogas tem aumentado consideravelmente em toda a Galiza”, admitindo que o ponto de abastecimento se situe no Norte de Portugal. “Temos mantido contacto com as autoridades portuguesas. Agora que foi desmantelado esse laboratório em Viana, vamos tentar apurar se isso se notará deste lado da fronteira, ou se há outros canais e pontos de origem de Ice para a nossa região”, disse a fonte.
As autoridades portuguesas, que têm vindo a colaborar com polícias de outros países, reconhecem a grande dificuldade em seguir o rasto do tráfico de Ice, que é apontado pelas Nações Unidas como um problema global, que tem conhecido uma evolução preocupante.
A primeira apreensão de Ice em Portugal remonta a 2003, nos Açores. Em Janeiro deste ano, a PSP de Lisboa apanhou 14 gramas a um traficante em Sintra.
PODER ALTAMENTE DESTRUTIVO
O Ice é uma droga sintética muito poderosa, cujos efeitos podem durar entre 12 horas e vários dias. É possível produzi-la com recurso a alguns produtos de fácil acesso, o que a torna mais barata do que, por exemplo, a cocaína. A euforia, a paranóia e a psicose são alguns dos efeitos mais comuns, assim como um apetite sexual quase insaciável. Em jeito de comparação, de acordo com a San Francisco Aids Foundation, a cocaína provoca uma libertação de dopamina (uma molécula cerebral) 400% superior ao normal. Os valores do Ice atingem os 1500%, o que provoca uma sensação de prazer interminável nos consumidores. Ao mesmo tempo, torna-os descuidados.
Há dois anos, um terço dos homossexuais infectados com o VIH era consumidor de Ice. A médio e longo prazo, o Ice é também altamente destrutivo, atacando o sistema imunitário e provocando danos nas gengivas e na boca. Usada para fins terapêuticos em algumas doenças, o consumo recreativo desta metanfetamina tem proliferado na vida nocturna das grandes cidades do Ocidente. Calcula-se que seja consumida por 35 milhões de pessoas em todo o Mundo, movimentando biliões de euros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)