Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Despiste fere bombeiros

A saga dos fogos florestais entrou ontem numa fase de acalmia, mas nem por isso os bombeiros descansaram. O dia em que as chamas avançaram em Bragança, ficou também marcado por dois acidentes: o despiste de uma viatura em Aljezur, que causou cinco feridos, um deles em estado grave, e a queda de um helicóptero, em Paradinha, Moimenta da Beira.
25 de Julho de 2005 às 00:00
O helicóptero tinha acabado de fazer  uma descarga quando chocou contra cabos de alta tensão
O helicóptero tinha acabado de fazer uma descarga quando chocou contra cabos de alta tensão FOTO: Carlos Jorge Monteiro
O acidente com a viatura de combate a incêndios dos Bombeiros Voluntários de Aljezur ocorreu pelas 20h20, perto de Lugar de Pazinho, na estrada entre Rojil e Aljezur.
O veículo, que estava em missão de vigilância com cinco elementos de um Grupo de Primeira Intervenção a bordo, despistou-se e capotou, ficando completamente destruído. Os cinco bombeiros sofreram ferimentos no acidente e dois deles estão em estado considerado grave, tendo sido transferidos para o Hospital do Barlavento Agarvio.
Na região de Bragança, o único incêndio activo no País às 20h00, era combatido por 89 bombeiros, 25 veículos e dois aviões no Parque Natural de Montesinho. A frente de fogo, que tinha alargado a Espanha, era combatida dos dois lados da fronteira.
Durante a manhã, nas operações em Moimenta da beira, um helicóptero ‘embrulhou-se’ em cabos de alta tensão e despenhou-se. Milagrosamente, o piloto escapou com pequenas escoriações.
“Ele conseguiu desligar o motor e manobrar o aparelho para uns campos de cultivo. Depois, caiu de chapa no chão”, explicou José Fernandes Silva, comandante da Brigada Helitransportada no local.
A aeronave tinha acabado de fazer uma descarga, às 11h45, no fogo de Paradinha. Ao retomar a altitude, tocou com a hélice nos cabos e caiu. “Queríamos correr para lá, mas tínhamos medo que os cabos tivessem corrente”, adianta José Silva.
Vencido o choque, os bombeiros dirigiram-se aos destroços e viram sair o piloto apenas com “uns arranhões nas pernas e a queixar-se das costas”. O ‘heli’ ficou inoperacional.
RISCO MÁXIMO EM BRAGANÇA
A Agência para a Prevenção de Incêndios Florestais prevê para hoje o risco “máximo” de incêndio nos distritos de Bragança e Castelo Branco. Existe ainda um risco “muito elevado” de incêndio nos distritos de Viana do Castelo e Guarda e “elevado” em Faro, Lisboa, Setúbal, Aveiro, Viseu, Braga, Porto e Vila Real.
A escala de risco de incêndios tem cinco níveis, começando no reduzido e terminando no máximo.
Na primeira quinzena deste mês, os incêndios queimaram mais de 17 mil hectares de floresta, elevando para 38 518 hectares a área destruída pelo fogo desde o início do ano, segundo o último relatório da Direcção-Geral das Florestas (DGF).
Até ao último dia 17, os maiores valores de área ardida registaram-se nos distritos do Porto (6061 hectares), Viseu (4226 hectares) e Viana do Castelo (3589 hectares).
FILME DO DIA
01h00: Ao início da noite de ontem, o único incêndio por circunscrever era o de Pedras Lavradas, Covilhã. Dominado estava finalmente o fogo do Piódão, Arganil, tal como os de Constantim, Valinha, Vale Formoso, Silvares, Vale do Cabo e Cotaros.
07h40: A Agência de Prevenção previa para ontem risco máximo para os distritos de Bragança e Guarda, com temperaturas de 32 graus. Na Pampilhosa da Serra havia pequenos reacendimentos prontamente dominados. O único fogo não circunscrito era o de Pedras Lavradas.
13h00: O fogo de Pedras Lavradas entrava em rescaldo. Não circunscrito estava um único fogo em Paradinha, Moimenta da Beira. Por volta desta hora um helicóptero que operava no local caiu ao embater em cabos de alta tensão. O piloto sofreu apenas algumas escoriações.
20h00: Os dois incêndios que há horas lavravam em Deilão e Petisqueira, no Parque Natural de Montesinho, Bragança, transformaram-se num só. O fogo estava nos dois lados da fronteira, o que levou a uma rápida intervenção de Espanha com homens, carros e meios aéreos. O fogo de Moimenta da Beira estava circunscrito, muito graças às condições meteorológicas, nomeadamente a descida de temperatura até aos 21 graus.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)