Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

DESPISTE MATA 3 JOVENS

Três mortos e dois feridos, um dos quais em estado grave, foi o resultado do despiste de uma viatura ligeira de passageiros, cerca das 05h00 de ontem, na Estrada Marginal, no sentido Cascais-Lisboa, junto da praia dos Pescadores, em Paço de Arcos.
1 de Setembro de 2003 às 00:00
Antes de embater nas rochas o veículo desgovernado danificou cinco pequenas embarcações
Antes de embater nas rochas o veículo desgovernado danificou cinco pequenas embarcações FOTO: Manuel Moreira
Os cinco jovens, do sexo masculino e de nacionalidade cabo-verdiana, três de 21 anos, todos falecidos, um de 20 e outro de 15, seguiam num Fiat Punto que, à saída de uma curva para a esquerda, embateu e galgou o lancil de protecção do passeio e foi a arrojar, cerca de 50 metros, pela muralha, antes de se desfazer de encontro às rochas. No embate, apenas um dos passageiros não foi projectado para fora da viatura.
"O piso estava molhado mas o despiste foi, com toda a certeza, fruto do excesso de velocidade. A viatura arrancou pedras de razoável dimensão antes de embater nas rochas e ficou praticamente desfeita", assegurou ao CM fonte dos Bombeiros de Paço de Arcos, que respondeu com sete elementos e duas viaturas ao alerta dado pelas 05h15.
Uma VMER (Viatura Médica de Emergência e Reanimação) de Cascais prestou os primeiros socorros às vítimas ainda no local, onde compareceram mais seis viaturas dos bombeiros de Oeiras, Linda-a-Velha, Carcavelos e Sapadores de Lisboa, sendo esta equipada com uma grua, que retirou os restos do veículo do meio das rochas.
Segundo fonte do Hospital S. Francisco Xavier, em Lisboa, para onde os feridos foram transportados, o que se encontra em estado mais grave, o rapaz de 15 anos, foi transferido, ainda ontem, para o Hospital de Sant'Ana, na Parede, enquanto o jovem de 20 anos, após vários exames e tratamento aos ferimentos, recebia alta.
O local do acidente foi, no dia de ontem, motivo de curiosidade para muitas dezenas de pessoas que, no entanto, não demoravam muito tempo por ali, depois de serem avisados, pelos pescadores da zona, para o perigo que corriam.
"Se o acidente tivesse acontecido pelas 09h00 ou 10h00 teria ceifado a vida a muito mais gente, que até costuma estar a apanhar banhos de Sol, ali na muralha. Não apanhou pessoas, mas apanhou estes cinco barcos, dois dos quais nem merecem reparação", comentou para o CM António Tomás, apontando para uma das pequenas embarcações danificadas e que um amigo lhe emprestara.
"Nunca passo naquele passeio. Esta curva tem sido palco de sucessivos acidentes" recordou António Fernandes, dono de um dos barcos que "por acaso" não foi atingido.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)