Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Desvia dinheiro em nome do filho

Atribuiu o cargo de subencarregado da APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental) ao filho, portador de uma incapacidade global de 65 por cento, e desviou, para si, todos os lucros obtidos naquelas funções. Acácio Lucas, o antigo presidente da instituição de solidariedade, começou ontem a ser julgado no Tribunal de Anadia, acusado de peculato.
11 de Janeiro de 2012 às 01:00

O julgamento decorreu durante todo o dia. De manhã, foi ouvido o arguido, que respondeu às perguntas que lhe foram colocadas, mas evitando entrar em grandes pormenores sobre a decisão de atribuir o cargo ao filho, também ele integrado na associação.

De tarde, foram ainda ouvidas testemunhas da acusação, nomeadamente elementos da inspecção da Segurança Social e, também, inspectores da Polícia Judiciária que investigaram o caso e detiveram Acácio Lucas.

De acordo com a acusação, o ex-dirigente da instituição atribuiu ao filho funções remuneradas, as quais aquele nunca veio a desempenhar – uma vez que também possuía incapacidade permanente – e usufruiu do dinheiro que desviava mensalmente.

A sentença está marcada para o próximo dia 31 de Janeiro, de manhã.

ANADIA TRIBUNAL APPACDM JULGAMENTO TRIBUNAL
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)