Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Dez fogos ativos no País

Mais de 600 operacionais no combate às chamas.
28 de Agosto de 2013 às 08:34
fogos, chamas, incêndios, bombeiros
fogos, chamas, incêndios, bombeiros FOTO: Ricardo Almeida

Quase três dezenas de concelhos do Norte e Centro de Portugal continental apresentam esta quarta-feira risco máximo de incêndio, de acordo com informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) na Internet.

Segundo o IPMA, estão com risco máximo de incêndio os concelhos de Cabeceiras de Basto (Braga), Ribeira de Pena e Vila Pouca de Aguiar (Vila Real), Gondomar, Valongo e Baião (Porto), Resende, Castro Daire, Vila Nova de Paiva, Moimenta da Beira, Sernancelhe e Mangualde (Viseu),Sabugal, Celorico da Beira, Fornos de Algodre, Aguiar da Beira e Trancoso (Guarda), Arganil, Góis, Pampilhosa da Serra (Coimbra), Oleiros, Sertã e Vila de Rei (Castelo Branco), Pedrógão Grande e Figueiró dos Vinhos (Leiria), Sardoal e Mação (Santarém).

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, variando entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13:h00 de cada dia da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação ocorrida nas últimas 24 horas.

Na terça-feira, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 366 incêndios, que foram combatidos por 6.270 operacionais, com o auxílio de 1.724 veículos.

Mais de 600 bombeiros apoiados por 175 viaturas combatiam, às 08h30 de hoje, os 10 principais fogos que lavravam em Portugal, numa altura em que a ANPC contabilizava 18 fogos ativos.

Com 82 fogos contabilizados desde a meia-noite, a ANPC refere na sua página da Internet que os incêndios de Amarante e Vila Flor mantêm a maior concentração de meios de combate.

Em Amarante continuam 141 operacionais apoiados por 46 veículos e um helicóptero bombardeiro a combater o fogo que lavra em mato desde as 02h00 de terça-feira, num incêndio que tem uma frente ativa.

Em Vila Flor, Bragança, outros 118 bombeiros combatem, com o apoio de 34 viaturas, um incêndio em mato com uma frente ativa que lavra desde as 02h30 de terça-feira.

No Parque Natural do Alvão, em Fervença/Ermelo, Mondim de Basto, estão 94 operacionais, apoiados por 24 viaturas, a combater um incêndio com quatro frentes ativas.

Na Serra das Flores/Covelo, Gondomar, um fogo com duas frentes ativas é combatido por 70 operacionais, 21 veículos e um helicóptero de ataque inicial.

Em Monte da Mosqueira/Duas Igrejas, Vila Verde, lavra um incêndio com duas frentes ativas. O combate às chamas é feito por 52 operacionais, apoiados por 14 veículos e um helicóptero de ataque inicial.

No distrito do Porto, além do incêndio de Gondomar, há mais três incêndios ativos, em Outeiro/Soalhões, Serra de Montedeiras/Manhucelos (ambos no concelho de Marco de Canaveses) e Cimo de Vila/Viariz (Baião). No total, estão envolvidos no combate às chamas 77 operacionais e 22 viaturas.

Na Guarda, no concelho de Vila Nova de Foz Côa, mais concretamente em Almendra, um incêndio com duas frentes ativas é combatido por 29 operacionais e sete veículos.

Em São Mamede/Frades, Póvoa de Lanhoso (Braga), 22 operacionais combatem uma frente ativa, com o apoio de sete veículos.

fogos chamas incêndios bombeiros
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)