Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
1

Dezassete concelhos sob risco máximo de incêndio

Dezassete concelhos dos distritos de Faro, Santarém, Leiria, Castelo Branco, Coimbra, Guarda e Viseu apresentam esta sexta-feira risco máximo de incêndio, segundo informação do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).
9 de Agosto de 2013 às 08:56

Em risco de incêndio estão os concelhos de Vila Rei, Sertã e Oleiros (Castelo Branco), Monchique (Faro), Mação e Sardoal (Santarém), Sabugal (Guarda), Castanheira de Pera, Pedrogão Grande e Figueiró dos Vinhos (Leiria), Arganil, Góis, Pampilhosa da Serra e Miranda do Corvo (Coimbra), Moimenta da Beira, Tarouca e Lamego (Viseu).

O risco de incêndio determinado pelo IPMA engloba cinco níveis, variando entre reduzido e máximo.

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13h00 de cada dia da temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação ocorrida nas últimas 24 horas.

Na quinta-feira, a Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) registou 104 incêndios, que foram combatidos por 2.276 operacionais, com o auxílio de 598 veículos.

O IPMA colocou dezassete distritos do continente bem como a costa sul da Madeira e o Porto Santo sob aviso amarelo, o segundo menos grave numa escala de quatro, devido à previsão de tempo quente até às 02h59 de segunda-feira.

Para hoje, no continente, prevê-se tempo quente com céu limpo, vento fraco do quadrante leste, soprando moderado nas terras altas até ao início da manhã e de noroeste durante a tarde na faixa costeira ocidental e subida da temperatura.

O aviso do IPMA já levou a ANPC a emitir uma recomendação à população devido à subida de temperatura nos próximos dias e determinou o alerta amarelo para as operações de socorro e combate a incêndios em todo o país.

Em comunicado, a ANPC adianta que o tempo quente e seco, previsto até ao dia 12 de agosto deverão ser favoráveis à ocorrência de incêndios florestais e afetar os grupos populacionais mais vulneráveis.

A ANPC recomenda, por isso, que nas zonas onde o risco de incêndio é elevado não sejam feitas queimadas nem fogueiras, lançamentos de balões com mecha acesa ou foguetes, fumar ou fazer lume em espaços florestais e vias que os circundem, fumigação ou desinfestação em apiários com fumigadores que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas.

Para os grupos populacionais mais vulneráveis, é recomendado que se beba água com regularidade ou sumos de fruta natural sem adição de açúcar, que se evite álcool e exposição ao sol nas horas de maior calor (aproximadamente entre as 11h00 e as 16h00), período em que se devem evitar também viagens e atividades que exijam muito esforço físico.

fogo incêndio aviso alerta
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)