Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
5

Director diz desconhecer corrupção

O director nacional da PSP, Orlando Romano, disse ontem não ter “conhecimento que, até agora, tenha havido apropriação ou dinheiro mal gasto de quem quer que seja” nos Serviços Sociais da PSP.
17 de Maio de 2006 às 00:00
 Orlando Romano
Orlando Romano FOTO: Natália Ferraz
A Inspecção-Geral da Administração Interna (IGAI) concluiu uma auditoria às contas da instituição em 1999, “o processo teve seguimento em 2003, e não foi detectada qualquer irregularidade disciplinar ou criminal”.
De qualquer forma, ainda corre um processo-crime na 9.ª secção do Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa, coordenado pelo procurador José Guerra, contra o secretário-geral dos Serviços Sociais, superintendente Leopoldo Amaral. Só que, segundo Orlando Romano, “esse é outro processo” – e não diz respeito a corrupção ou peculato.
Mas as últimas suspeitas levantadas – atribuição de empreitadas a custos mais elevados do que os praticados no mercado; o uso indevido de viaturas do Estado; almoços de luxo e protocolos celebrados com empresas cujas verbas têm destino incerto – levaram a Direcção Nacional “a solicitar as necessárias averiguações a uma entidade externa”.
O IGAI vai, assim, voltar a auditar todas as contas dos Serviços Sociais da PSP.
Ver comentários