Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Discussão entre primos acaba com tiro na cabeça

Familiares estavam desavindos desde sexta-feira, na Costa da Caparica.
João Tavares 30 de Julho de 2018 às 01:30
Bairro de barracas das Terras da Costa
Dulce, mulher da vítima do disparo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Bairro de barracas das Terras da Costa
Dulce, mulher da vítima do disparo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Bairro de barracas das Terras da Costa
Dulce, mulher da vítima do disparo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Homem alvejado na cabeça por primo na Costa da Caparica
Os primos Ivan e Tó estavam desavindos desde sexta-feira, na zona da Costa da Caparica, em Almada. Envolveram-se numa discussão, que ontem de manhã assumiu contornos bem mais graves. Ivan, de 35 anos, confrontou o primo, de 38, e armou-se com uma caçadeira de canos serrados, alvejando o familiar com um disparo na cabeça. Tó - Boaventura Moreira, de nome verdadeiro - deu entrada no Hospital Garcia de Orta, em Almada, em estado grave, mas não correrá perigo de vida. Já Ivan, foi intercetado pela GNR e a arma apreendida - bem como um punhal e um canivete.

O crime teve lugar pouco antes das 10h00, à entrada de um bairro de barracas nas Terras da Costa. A discussão teve início em frente de diversas testemunhas, até que Ivan disparou. Também a mulher de Tó, Dulce, foi atingida por um chumbo na zona da mão, sem necessidade de receber assistência médica.

A GNR dirigiu-se para o local do crime e montou um perímetro de segurança, já que havia relato de disparos. Contudo, o atirador entregou-se às autoridades. A investigação está agora entregue aos inspetores da Polícia Judiciária de Setúbal.

"Vai comprar outra arma e matá-lo"
Dulce, a mulher da vítima, disse à CMTV que tem "me do", já que após os disparos as ameaças mantiveram-se. "Ele disse que vai comprar outra arma e que quando sair vai matar o meu marido", contou a mulher. Dulce relatou que ainda tentou impedir o crime, mas sem sucesso. Atirador e vítima moram praticamente juntos, estando o primeiro agora indiciado pelo crime de homicídio na forma tentada. A PJ está a investigar.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)