Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Dispara a arma contra família

Foi ultrapassado pela direita por um Fiat Brava, a alta velocidade, na A28, e diz que quase se despistou. Sempre a fazer sinais de luzes, seguiu o veículo até à EN13, em Mindelo, Vila do Conde. Assim que o Fiat abrandou a marcha, Nuno Botelho sacou de uma pistola e disparou contra o carro – onde estava um casal e três crianças.
7 de Junho de 2012 às 01:00
Nuno Botelho (à dir.) a sair, ontem à tarde, do Tribunal de Vila do Conde
Nuno Botelho (à dir.) a sair, ontem à tarde, do Tribunal de Vila do Conde FOTO: Rafaela Cadilhe

O caso remonta a Outubro de 2011 e o homem começou ontem a ser julgado no Tribunal de Vila do Conde. Ao colectivo de juízes confessou que fez o disparo, enquanto conduzia, mas que não tinha intenção de acertar no automóvel. "Disparei para cima. Estava muito nervoso e só queria intimidar. Não era para acertar em nada," disse Nuno Botelho.

Em audiência, o arguido, que está acusado de tentativa de homicídio e posse de arma ilegal, contou que ficou "assustado" com a manobra do condutor do Fiat. "Ele atravessou-se à minha frente na A28 numa manobra perigosa. Só o queria chamar à atenção", afirmou.

O arguido terá comprado a arma, em 2002, para defender a casa onde vivia com os pais, que tinha sido assaltada. "Eu trabalhava como electricista e passava muito tempo fora. Um dia mataram-me os cães de casa à paulada e comprei a arma num café", explicou.

VILA DO CONDE TRIBUNAL TIRO CARRO FAMÍLIA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)