Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Dois mil polícias protestam contra Orçamento

Cerca de dois mil polícias manifestam-se esta terça-feira, em Lisboa, para protestar contra os cortes previstos na proposta de Orçamento do Estado (OE) para 2013, que consideram ser uma perda de direitos.
6 de Novembro de 2012 às 19:22
Paulo Rodrigues diz que, com este Orçamento, Governo "não está a valorizar trabalho da PSP"
Paulo Rodrigues diz que, com este Orçamento, Governo 'não está a valorizar trabalho da PSP' FOTO: Mariline Alves

Numa manifestação promovida pela Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP), os agentes desfilam com um pouco mais de uma hora de atraso entre a praça Camões, ao Chiado, e a Assembleia da República.

Empunhando bandeiras da ASPP/PSP, os polícias gritam: "Passos, escuta, os polícias estão em luta", "Vamos todos a São Bento contestar" e "Polícias unidos jamais serão vencidos".

O presidente da ASPP/PSP, Paulo Rodrigues, disse à agência Lusa que esta é a maior manifestação de sempre organizada pela estrutura sindical e justificou a adesão com "a desmotivação" da classe.

"O OE para 2013 vai afectar os polícias, como afecta todos os cidadãos, mas há três aspectos que afectam, em particular, os polícias", nomeadamente a suspensão da passagem à pré-aposentação, o fim da utilização gratuita dos transportes públicos e o aumento dos encargos com o subsistema de saúde.

Paulo Rodrigues adiantou que, com este OE, o Governo "não está a valorizar trabalho da PSP, sublinhando que as medidas vão "prejudicar a qualidade do trabalho" daquela força policial.

Com 36 anos de serviço e 56 de idade, um agente veio de Ponte de Lima para manifestar o seu desagrado contra as restrições orçamentais, uma vez que contava passar, em 2013, para a pré-aposentação e tal já não vai acontecer.

A fazer ainda patrulhamento nas ruas, este polícia confessou que já lhe faltam "meios físicos para poder reagir contra certas agressividades, sendo melhor estar encostado a uma secretaria".


O Sindicato Nacional da Polícia (SINAPOL) também se juntou à manifestação convocada pela ASPP/PSP e o seu presidente, Armando Ferreira, disse à Lusa que participa no projeto porque está "preocupado com o futuro dos polícias".

Armando Ferreira lamentou ainda que, na manifestação, com agentes de todo o país, não estejam todos os sindicatos da polícia, tendo em conta que, quando reivindicam, os problemas da classe acabam por ser todos resolvidos.

polícias protesto orçamento de estado governo passos coelho
Ver comentários