Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Confirmados dois mortos na derrocada em Lisboa

Bombeiros resgataram corpo da segunda vítima.
28 de Novembro de 2016 às 12:53
Derrocada ocorreu esta manhã, no centro de Lisboa
Derrocada ocorreu esta manhã em Lisboa
Polícia vedou trânsito no local
Bombeiros procuram trabalhador desaparecido nos escombros
Bombeiros no local
Operações com grua no local
Grande aparato no local
Grande aparato na Rua Alexandre Herculano
Derrocada ocorreu esta manhã, no centro de Lisboa
Derrocada ocorreu esta manhã em Lisboa
Polícia vedou trânsito no local
Bombeiros procuram trabalhador desaparecido nos escombros
Bombeiros no local
Operações com grua no local
Grande aparato no local
Grande aparato na Rua Alexandre Herculano
Derrocada ocorreu esta manhã, no centro de Lisboa
Derrocada ocorreu esta manhã em Lisboa
Polícia vedou trânsito no local
Bombeiros procuram trabalhador desaparecido nos escombros
Bombeiros no local
Operações com grua no local
Grande aparato no local
Grande aparato na Rua Alexandre Herculano
Os bombeiros confirmaram a existência de uma segunda vítima mortal na derrocada de parte de um edifício de cinco andares número 41 na Rua Alexandre Herculano, em Lisboa. Após várias horas de operação, os bombeiros localizaram o corpo da segunda vítima, até então dada como desaparecida.




O prédio estava em obras e a derrocada ocorreu nas traseiras. "Três pisos derrocaram, com as lajes interiores a caírem para dentro daquilo que se chama de saguão", explicou o comandante dos Sapadores Bombeiros, Pedro Patrício. Os trabalhos "são demorados", estando a correr "dentro da normalidade possível".

As duas vítimas mortais, de 51 e 57 anos, tinham vindo de Fafe na manhã desta segunda-feira para trabalhar na obra. Estavam a trabalhar em Lisboa ao serviço do Grupo Casais.

Outro trabalhador conseguiu fugir a tempo e salvar-se. A segunda vítima mortal era outro trabalhaodor que participava na obra.


O comandante Pedro Patrício explica que a demora no resgate do segundo corpo se deveu ao risco da operação: "estes são prédios muito antigos, com muita pedra e madeira e tivemos de criar condições de segurança para proceder ao resgate". A vítima foi localizada junto ao local de onde tinha sido retirado o colega. Por volta das 18h00, ainda decorriam os trabalhos para remover este segundo corpo do local do acidente.

A derrocada terá ocorrido cerca do meio-dia. 

O Inspetor-Geral da Autoridade para as Condições do Trabalho disse ser prematuro avançar com as causas da derrocada.

"É muito complicado apurar as causas da derrocada porque a instabilidade é muito grande e o acesso ao local está interdito pela Proteção Civil. As instabilidades numa demolição não podem existir, por isso é que existem normas de segurança. Não existem acidentes por acaso", afirmou Pedro Pimenta Braz. O Inspetor lamentou que "no meio da cidade de Lisboa, uma das capitais da União Europeia, morram duas pessoas a trabalhar".

O quarteirão esteve encerrado ao trânsito, mas foi reaberto na Rua Alexandre Herculano cerca das 14h30, continuando ainda fechada a Rua Rodrigo da Fonseca.

No local estão quatro viaturas dos bombeiros, com 12 elementos, além de meios da PSP, da Proteção Civil Municipal e do INEM.

A Rua Alexandre Herculano fica entre o Marquês de Pombal e o Largo do Rato. 
Rua Alexandre Herculano Lisboa PSP questões sociais acidentes e desastres acidente (geral) derrocada
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)