Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Dor e lágrimas no funeral de Gustavo

Dezenas de pessoas marcaram presença, ontem de manhã, no funeral de Gustavo Miguel Revés Martins, a criança de quatro anos que morreu afogada, no passado domingo, numa piscina particular no sítio da Berberia, na freguesia da Conceição de Tavira.
10 de Setembro de 2008 às 00:30
Pais do menino, que morreu afogado numa piscina, foram reconfortados por dezenas de familiares e amigos
Pais do menino, que morreu afogado numa piscina, foram reconfortados por dezenas de familiares e amigos FOTO: Nuno Jesus

A GNR de Tavira, que tomou conta da ocorrência, enviou o relatório do acidente para o Ministério Público. Será esta entidade judicial a decidir se há matéria para incriminar alguém pelo descuido de deixar uma piscina particular sem qualquer tipo de protecção e com a agravante de ter, na água, vários brinquedos, que terão sido o chamariz fatal para a criança.

Ontem, a dor de familiares e amigos, as lágrimas e gritos de desespero dos pais e avós, tornaram o ambiente  pesado no cemitério de Conceição de Tavira, ninguém percebendo como foi possível acontecer a tragédia.

Norberto Revés Martins, o pai da criança, lamentava o descuido de não ter exigido, à dona da casa de campo, onde se deu o acidente, de cuja reconstrução foi o responsável, uma mais eficaz protecção da piscina.

"Parece que já adivinhava que isto iria acontecer, mas disseram-me que não havia verba para tapar o acesso à piscina e eu, infelizmente, acedi", lamentou.

Helena Botte, secretária-geral da Associação para a Promoção de Segurança Infantil disse ao CM que "independentemente da legislação de construção de piscinas estar ainda em discussão com o Governo", os pais devem ter todo o cuidado com as águas paradas. "O perigo está nas piscinas, mas também em tanques, alguidares, baldes e até banheiras", salientou.

PORMENORES

MORTES

No 1.º semestre do ano, 25 crianças foram atropeladas e seis caíram de varandas e escadas. Cinco crianças morreram afogadas, número que já subiu para onze.

LEGISLAÇÃO

Falta de leis para a construção de piscinas particulares é um dos grandes motivos apontados para as cerca de vinte crianças mortas por afogamento, anualmente, naquelas estruturas.

DECRETO-LEI

Desde Agosto de 2007 que se discute um projecto de decreto-lei para esta matéria. Está para estudo na Secretaria de Estado do Comércio e Serviços e Defesa do Consumidor.

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)