Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Duarte Lima: "Deixei-a a 200 metros do hotel"

Suspeito de homicídio garante que deixou Rosalina Ribeiro perto do hotel e nunca mais a viu.
16 de Maio de 2014 às 17:55
À saída do Campus da Justiça de Lisboa, onde esteve a prestar declarações no âmbito das acusações do homicídio de Rosalina Ribeiro, sair descansado do interrogatório.

Duarte Lima, suspeito do homicídio de Rosalina Ribeiro, foi ouvido esta sexta-feira no Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, no seguimento de uma carta rogatória enviada pela Justiça brasileira.  

Confirmou ter recebido cerca de 6 milhões de euros de pagamento de honorários da parte de Rosalina Ribeiro.

Duarte Lima garante ter deixado Rosalina perto do hotel. “Deixei-a a 200 metros do hotel junto a um lago e via-a a entrar num carro com outra mulher a seguir a uma pizzaria e voltei para o Rio de Janeiro. Não a voltei a ver”, afirma o ex-deputado. "Não sou culpado da acusação que me é feita. Fui objeto de um linchamento mediático, toda esta situação causou-me um sofrimento muito grande", disse, acrescentando que reconhece "o valor da vida".

O ex-deputado lembrou o mandamento "não matarás" e, em resposta à questão da juíza de instrução Cláudia Pina, salientou que considera "abominável" tirar a vida a alguém. "Eu sei o que é estar às portas da morte. Estive por duas vezes às portas da morte", afirmou na sala de audiência.

Duarte Lima hotel carro julgamento rosalina ribeiro
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)