Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Dupla de motoqueiros limpa ourivesaria

Dois motociclistas assaltaram ontem à mão armada uma ourivesaria em Vizela. Sob ameaça de uma shotgun, obrigaram a proprietária a fechar-se numa arrecadação e levaram várias peças em ouro, depois de partirem os vidros das montras. Só foram interrompidos pelos gritos de um popular, que foi afastado por um tiro de intimidação.
23 de Fevereiro de 2008 às 00:30
"Chegou a minha vez, algum dia teria de ser”, desabafou Firmino Meira, marido da vítima e também ele proprietário da loja, situada mesmo à face da Estrada Nacional 106, que atravessa a cidade de Vizela, com ligação a Penafiel.
Sempre com capacete integral na cabeça, os assaltantes pararam a Yamaha DT junto à porta da ourivesaria Firmino Meira – também relojoaria e óptica – e entraram de arma sobre o ombro e apontada para a proprietária, que se encontrava sozinha, atrás do balcão. Um dos assaltantes limitou-se a dizer: “Quieta. Já lá para trás e meta-se aí dentro.” A mulher entrou imediatamente numa pequena arrecadação e “não viu mais nada”.
Os assaltantes partiram os vidros das montras e meteram apenas peças em ouro numa mochila. Foi só perante os gritos de alerta de um vizinho que a dupla parou o assalto e saiu do estabelecimento, disparando um tiro. Os suspeitos puseram-se imediatamente em fuga, ziguezagueando entre diversas viaturas que se encontravam na via. Seguiram em direcção a Felgueiras e terão assaltado os CTT de Longra.
NO DIA DE ANIVERSÁRIO DA FILHA
Firmino Meira não quis fazer uma estimativa do prejuízo. “Não vale a pena, porque não há seguro possível para esta actividade”, explicou o empresário, lamentando que o assalto vá ficar para sempre na memória de toda a família, porque ontem celebrava o décimo aniversário da mais nova das suas duas filhas. “Vai ser chato, mas havemos de superar”, afirmou, reclamando que “é complicado ter negócio com tanta insegurança, porque a crise do mercado já é demasiado grande para aguentar ainda mais choques”. Por causa da crise, decidiu diversificar o tipo de produtos à venda. Para além de ourivesaria e relojoaria, decidiu comercializar óculos, que “até é o que tem corrido melhor e safado as coisas”.
Ver comentários