Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Educação está ainda abaixo da média

O relatório anual de 2007 sobre os progressos realizados na União Europeia (UE) desde 2000 mostra que Portugal continua abaixo da média europeia em matéria de educação, embora em diversos aspectos progrida a um ritmo mais acelerado do que os seus parceiros europeus, recuperando algum terreno. De uma forma geral, mostra o relatório, os vários países progridem de forma decepcionante face aos objectivos da Estratégia de Lisboa.
4 de Outubro de 2007 às 00:00
A Comissão Europeia constata que, desde 2000, os progressos realizados pelos 27 nas cinco áreas avaliadas são limitados, muito aquém dos indicadores de referência acordados pelos Estados-membros para o crescimento e emprego, à excepção do aumento de licenciados nas áreas da Matemática, Ciência e Tecnologia. Nesta área, a UE já atingiu as metas traçadas de aumentar o número de licenciaturas em 15 por cento até 2010 ou em 1,6 por cento por ano. Nesta matéria, Portugal é o segundo Estado--membro com uma evolução mais favorável, registando um crescimento médio anual de 13,1 por cento. Apesar da evolução, mesmo neste campo o País fica abaixo da média comunitária, já que em 2005 tinha 12 licenciados por cada mil jovens, contra a média dos 13,1 da UE.
Os outro quatro indicadores são diminuir em pelo menos 20 por cento a percentagem de alunos de 15 anos com competências de leitura pobres (para 15,5 por cento), reduzir a taxa de abandono escolar para dez por cento, conseguir que 85 por cento dos jovens completem o Secundário e que a taxa de participação da população adulta na aprendizagem ao longo da vida atinja os 12,5 por cento.
A mensagem de Bruxelas é clara: “Devemos investir mais eficazmente no nosso capital humano.”
Ver comentários