Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Eles têm tudo a ver com Santo António

Foi na paróquia de Santo António, onde fizeram a catequese, que Teresa Cutelo e Pedro Santos se conheceram. Há cerca de cinco anos, a forte amizade que tinham transformou-se em algo mais. O primeiro beijo surgiu atrás da igreja e, apesar de várias partidas do destino, o amor dali surgido venceu a distância provocada pelas circunstâncias da vida. Agora, pedem ao santo padroeiro de Lisboa que abençoe o seu casamento.
31 de Maio de 2005 às 00:00
Teresa e Pedro conheceram-se na paróquia do santo que agora apadrinha o seu casamento
Teresa e Pedro conheceram-se na paróquia do santo que agora apadrinha o seu casamento FOTO: Jorge Paula
“Fomos crescendo no seio da igreja”, conta Pedro, lembrando o trajecto ao lado da mulher da sua vida. Tinham apenas 13 anos quando se conheceram durante a catequese. Na paróquia de Santo António, fizeram juntos a profissão de fé e o crisma. No 10.º ano, foram ambos para a Escola dos Olivais, e foi nessa altura que começaram a ter uma amizade mais forte.
“O Primeiro beijo foi atrás da Igreja”, recorda Pedro. “Tínhamos 18 anos. Logo a seguir fomos de férias e, em 1999 entrei para o Exército. Ficámos algum tempo sem nos vermos.” Mal sabiam o tempo que estariam separados, mas preferiram não manter nenhum compromisso. Enquanto ele foi para a tropa, ela entrou na faculdade e ficaram sem se ver durante dois anos. Pedro chegou a ir em missão para o Kosovo, mas numas curtas férias em Portugal, quis o destino que se voltassem a encontrar. “Uns 15 dias antes de partir de novo para o Kosovo, pedi-a em namoro”, diz o noivo. Quando Pedro veio de vez, em 2001, ela estava em Madrid. “Tive de ir lá duas vezes, para fortalecer o nosso amor. Quando uma pessoa luta por alguma coisa que vale a pena, não é a distância que é obstáculo”, considera. Distância é o que os dois querem evitar daqui para a frente.
UNIDOS POR UMA PEÇA DE TEATRO
Pedro e Teresa andavam na catequese quando surgiu na igreja a ideia de fazer uma peça de teatro no Natal, uma representação a tentar retratar a vida das crianças e jovens nos tempos que correm. “Na altura, eu nem reparava nele porque ele tinha assim o cabelo comprido e eu tinha uma ideia completamente diferente dele”, admite a noiva. Pedro tinha um papel curto, em que dizia apenas uma frase: “Mãe, orienta-me uns trocos.” Mas a competência com que desempenhou o seu papel chamou a atenção de Teresa, que não pôde deixar de reparar naquele rapaz com nome de apóstolo. “Quase sempre vínhamos a pé da escola”, lembra Teresa. Pedro acompanhava-a dos Olivais até Moscavide. A amizade entre os dois foi crescendo e deu origem a algo mais forte. Hoje são um casal decidido a selar a sua união sob a bênção da igreja, que para eles tanto representa. “Filhos hão-de vir ao seu tempo certo”, prevê o futuro papá. “Nesta altura não são uma prioridade porque ela está a iniciar a sua vida profissional, depois de um grande tempo no desemprego”, explica. Teresa, por sua vez, tem grandes expectativas em relação ao casamento. “Espero que continuemos a dar-nos bem”, afirma. “Que tenhamos um projecto em comum que é a nossa vida, e que estejamos sempre juntos.”
O QUE OS UNE E O QUE OS SEPARA
Nome: Teresa Cutelo
Idade: 26
Naturalidade: Lisboa
Residência: Olivais
Profissão: Economista
Signo: Capricórnio
Alcunha Carinhosa: Não tem
Clube: Benfica
Nome: Pedro Santos
Idade: 26
Naturalidade: Lisboa
Residência: Moscavide
Profissão: Agente da PSP
Signo: Touro
Alcunha Carinhosa: Não tem
Clube: Olivais e Moscavide
Música: ‘Mentira’, de João Pedro Pais
Filme: ‘Titanic’, de James Cameron
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)