Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
3

Empregada forçada a masturbar o patrão

Agressor levou um ano de pena suspensa.
Ana Isabel Fonseca 1 de Maio de 2016 às 02:30
O ataque aconteceu em novembro de 2011 no apartamento da filha
O ataque aconteceu em novembro de 2011 no apartamento da filha FOTO: Ricardo Cabral
A jovem, então com 21 anos, deslocou-se com o patrão ao apartamento da filha do empresário, no Porto, para efetuar a limpeza da habitação. Depois de terminadas essas tarefas, o homem, de 55 anos, encurralou a funcionária, fechou a porta da casa à chave e forçou a vítima a masturbá-lo.

O caso ocorreu a 15 de novembro de 2011 e o Tribunal da Relação do Porto condenou agora o arguido a um ano de cadeia, pena suspensa, por coação sexual. Tem de pagar três mil euros de indemnização à vítima em seis meses ou será preso.

"Bem-vinda à empresa. Vês como não tinha maldade nenhuma? Vais ver que vais sair daqui a rir-te", disse o homem à jovem, depois de a ter forçado a contactos sexuais.

O suspeito tinha um negócio de compra e venda de peles, no concelho de Santa Maria da Feira. A 7 de novembro de 2011, contratou a vítima, que tinha, entre outras funções, o trabalho de limpar as instalações da empresa. No dia do crime, o patrão levou-a até ao apartamento da sua filha, no Porto. Disse-lhe que estava também encarregue de limpar aquele espaço.

Foi já quando a jovem se preparava para ir embora que o ataque ocorreu. O homem despiu-se e obrigou-a a deitar-se na cama. A mulher pediu para que a deixasse sair, mas, furioso, o patrão gritou-lhe que teria de obedecer às suas ordens.

"Criou uma situação de inferioridade, o que revela uma personalidade calculista", lê-se no acórdão do Tribunal da Relação do Porto, que confirmou a decisão da 1ª instância.
Porto Tribunal da Relação do Porto Santa Maria da Feira crime coação sexual masturbação
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)