Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Empregados de hotel salvam suecos do mar

Um resgate arriscado protagonizado por dois funcionários de um hotel de Óbidos permitiu salvar a vida a dois cidadãos suecos, de 33 e 34 anos, quando se encontravam no mar a mais de 30 metros da costa, envolvidos por ondas de 1,5 metros de altura.
28 de Abril de 2007 às 00:00
Nuno Jesus e Filipe Ferreirinha salvaram os dois suecos, que já estavam a 30 metros da costa
Nuno Jesus e Filipe Ferreirinha salvaram os dois suecos, que já estavam a 30 metros da costa FOTO: Carlos Barroso
O salvamento aconteceu quarta-feira, ao final da tarde, e os protagonistas da operação de socorro são dois empregados do Hotel Marriot, onde as vítimas estavam alojadas, na Praia d’El Rey. Para a direcção do hotel, cometeram um “acto de bravura.”
“O mar estava bravo, a maré já estava a vazar e as condições não eram nada favoráveis para ir tomar banho”, contou ontem ao CM o bagageiro Nuno Jesus, de 24 anos, que com Filipe Ferreirinha, de 25 anos, monitor do health club, salvaram de morte certa os dois estrangeiros. Os banhistas resolveram aventurar-se nas ondas depois de terem participado num congresso, durante a semana. Pelas 18h00, um deles sentiu-se em dificuldades e o outro, ao tentar ajudá-lo, ficou na mesma situação.
“Apareceu-me um taxista a dizer que estavam pessoas a afogar-se no mar, larguei o trabalho que estava a fazer e vim logo a correr. Encontrei o meu colega e fomos para dentro de água socorrê-los”, explicou Nuno Jesus. Os dois funcionários têm o curso de nadador-salvador, função que também desempenham no hotel.
As vítimas já estavam dentro de água há 20 minutos, após terem sido apanhadas pelas ondas. “Tivemos de pôr em prática todo o conhecimento adquirido durante a formação e tentámos fazer o melhor”, disse Filipe Ferreirinha. Usaram pranchas e bóias-torpedo e conseguiram resgatar estrangeiros.
No final, ambos receberam agradecimentos pela forma como arriscaram a vida para salvar os dois clientes do hotel. O Instituto de Socorros a Náufragos e os bombeiros de Óbidos foram alertados, mas a sua intervenção acabaria por ser dispensada. As vítimas estão bem de saúde.
FELICITADOS POR "ACTO DE BRAVURA"
FRIO
Só no final do salvamento é que os socorristas sentiram a água fria e quando chegaram a terra foram agasalhados com mantas térmicas. Foi ainda usada uma máscara de oxigénio para controlar o nível respiratório. Apesar dos momentos difíceis, estão bem.
DIFÍCIL
Os jovens Filipe Ferreirinha e Nuno Jesus já foram nadadores-salvadores nas praias d’El Rey e da Foz do Arelho, mas confessam que nunca tinham tido um salvamento “com esta intensidade e com o mar nestas condições, porque estava mesmo muito mau.”
PARABÉNS
O director de serviço, Hugo Gonçalves, em nome da administração do hotel, deu os parabéns aos funcionários. Depois, as diversas chefias da direcção do estabelecimento enviaram-lhes cumprimentos pelo “acto de bravura por terem enfrentado um mar” muito perigoso e terem salvo os dois clientes.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)