Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

Empresário explorava emigrantes

José Calhelha, um empresário português acusado de explorar emigrantes portugueses nos Estados Unidos da América, em condições que a polícia norte-americana classificou como “escravatura”, conhece hoje a sua sentença, arriscando-se a ser condenado a 16 meses de prisão.
23 de Março de 2007 às 00:00
O empresário é acusado de sete crimes, assumindo a culpa em dois: angariação de emigrantes ilegais para trabalhar nos EUA e dar-lhes trabalho nas suas lojas Dunkin Donuts no estado de Connecticut. A sua filha, Diana, pode apanhar um ano de prisão domiciliária e serviço comunitário.
O caso remonta a 2005 quando um dos trabalhadores denunciou a situação a um repórter de um canal local de televisão, dando origem a uma investigação policial que culminou com a prisão de José Calhelha em Janeiro de 2006. Pelo menos dois trabalhadores portugueses acusaram o empresário, não só de não lhes pagar o prometido quando os contratou em Portugal, como de os obrigar a trabalhar mais de 80 horas semanais sob condições que as autoridades norte-americanas consideram de “escravatura”.
José Calhelha é acusado de ter enganado seis emigrantes portugueses a quem prometeu a legalização nos EUA e altos ordenados para trabalharem nas suas lojas.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)