Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Empresário paga 2500 € a ladrão

Dono de café assaltado está a ser julgado por balear ladrões que roubaram estabelecimento.
7 de Fevereiro de 2014 às 14:39
Joel Magalhães, à chegada ontem ao Tribunal de Lousada, está em prisão preventiva
Joel Magalhães, à chegada ontem ao Tribunal de Lousada, está em prisão preventiva FOTO: Roberto Bessa Moreira

O dono de um café assaltado vai pagar 2500 euros a um dos cinco jovens acusados de terem realizado o furto ao estabelecimento em Nogueira, Lousada. Joel Magalhães pedia uma indemnização ao empresário Joaquim Ribeiro por ter sido baleado na madrugada de 26 de agosto de 2009. Mas, ontem, os dois chegaram a acordo.

O entendimento não travou, no entanto, o início do julgamento em que Joel Magalhães, juntamente com Tiago Bessa, Aparício Rodrigues, Fábio Oliveira e Joaquim Marques estão acusados de furtar dois carros com os quais assaltaram o Café Serfi. Sentado no mesmo banco dos arguidos está Joaquim Ribeiro, acusado de dois crimes de tentativa de homicídio qualificado.

O dono do café apercebeu-se de que estava a decorrer um assalto no rés-do-chão da sua casa e veio à janela. "Disse-lhes para ir embora, mas eles continuaram", contou na sala de audiências. Joaquim Ribeiro foi, então, buscar uma caçadeira. "Voltei a berrar, mas um deles disse para eu ir para dentro, senão levava um tiro. Nessa altura disparei", recordou. Aos juízes, o empresário garantiu que deu três tiros para assustar. "Se matasse uma pessoa por querer, a seguir matava-me", disse entre lágrimas o dono do café.

paga ladrão
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)