Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Empresário quis matar a mulher

Começa amanhã no Tribunal de S. João Novo, no Porto, o julgamento de um engenheiro luso-americano, de 51 anos de idade, acusado de, há cerca de um ano, ter tentado matar a mulher por encomenda.
30 de Maio de 2007 às 00:00
'Mirita', alvo da tentativa de homicídio, gere o MacDonald’s
'Mirita', alvo da tentativa de homicídio, gere o MacDonald’s FOTO: Secundino Cunha
O arguido, Manuel Albert Soares, que se encontra sujeito à medida de coacção de vigilância electrónica, estava em processo de divórcio litigioso e, segundo a acusação, terá urdido um plano para pôr termo à vida da mulher, Maria Teresa Soares e, dessa forma, evitar “assinaláveis prejuízos financeiros”.
O casal, que tem dois filhos, um de 18 anos e outro mais novo, era muito conhecido em Braga, nomeadamente por ter aberto, em 1997, o primeiro restaurante MacDonald’s da cidade, na Avenida Central.
Na sequência do divórcio, a mulher, que os amigos tratam por ‘Mirita’, continuou a ser a administradora dos restaurantes, tendo ele ficado, segundo as declarações prestadas ao Ministério Público, numa “situação financeira complicada”.
Ora, com a morte da mulher antes da consumação do divórcio e porque os filhos eram menores, ele tomaria, naturalmente, conta dos negócios.
Por isso, tratou de contratar um cidadão russo, residente no Porto, para, a troco do pagamento de dez mil euros, lhe matar a mulher “com dois ou três tiros na cabeça”.
O plano foi bem montado, tendo o engenheiro feito todos os contactos de cabinas telefónicas diferentes e usado um escantilhão nas comunicações escritas para que a sua letra não fosse reconhecida.
Ainda chegou a pagar os primeiros cinco mil euros, com a promessa de pagar o resto depois de realizado o “serviço”, tendo o dia 9 de Junho do ano passado sido a data apontada para a consumação do crime.
O problema é que o russo que o engenheiro luso-americano, residente em Braga, quis contratar não era um criminoso e denunciou o caso à Polícia Judiciária, que começou logo a investigar o caso.
Acabou por ser detido no dia 27 de Junho, em Viana do Castelo, quando, depois de ter verificado que o homicídio da mulher tardava em demasia, se prepararia para fugir para os Estados Unidos da América.
O julgamento começa amanhã ou, em caso de adiamento, no dia 14 de Junho.
Ver comentários