Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Empresários portugueses burlados em milhões em esquema com iates

Dois empresários portugueses e um libanês foram burlados em milhões de euros por um suspeito que terá fugido para o Brasil.
30 de Abril de 2019 às 10:51
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro
Dinheiro

Os presidentes de duas empresas de construção civil portuguesas foram burlados em mais de 5,4 milhões de euros em negócios de barcos de luxo. Os líderes das empresas terão dado um sinal no valor de milhões de euros, mas nunca chegaram a ver os iates. 

O Ministério Público suspeita que o esqie,a de nirça tenha sido levado a cabo por um empresário do Algarve, que entretanto fugiu para o Brasil com a namorada, avança a imprensa nacional. O empresário é suspeito de crimes de burla qualificada, falsificação de documentos, branqueamento de capitais e insolvência dolosa. O MP suspeita ainda de que o homem terá tido a ajuda de seis cúmplices que foram igualmente acusados.

De acordo com o MP, José Silvestre, 46 anos, era o único sócio-gerente da sociedade Sunseeker Portugal, que distribuía esta marca de barcos de luxo no nosso país, em representação da casa-mãe, em Espanha.

Em 2012, o administrador do grupo de construção civil MCA, Manuel Couto Alves, encomendou um barco de 4,4 milhões de euros e avançou com um sinal de 1,3 milhões. Um ano depois, o  xeque Arif Ben Khadra, um empresário de joalharia, de origem libanesa, quis também comprar um iate por 3,2 milhões de euros. Ao arguido entregou 1,5 milhões de euros por sinal, mas ficou sem o dinheiro e sem o navio, de acordo com a imprensa nacional.

Em fevereiro do ano passado, a namorada de Silvestre, que era alvo de um mandado de detenção, regressou a Portugal e foi detida pela Polícia Judiciária de Faro. Foi libertada pelo tribunal e regressou ao Brasil.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)