Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

ENCONTRADA SEM VIDA PERTO DO LAR

Uma octogenária desaparecida a 25 de Agosto de um lar da Venda do Pinheiro, Malveira, concelho de Torres Vedras - caso que gerou acusações de negligência por parte de familiares - , foi encontrada morta anteontem, ao fim da tarde, numa pequena quinta perto da casa de repouso.
7 de Setembro de 2003 às 00:00
A idosa saiu do Novolar sem ninguém dar por isso
A idosa saiu do Novolar sem ninguém dar por isso FOTO: José Barradas
"Estava de bruços e, segundo o médico, tinha morrido há vários dias. Não apresentava sinais de violência", adiantou ao Correio da Manhã César Fernandes, proprietário e gerente do 'Novolar', onde a idosa residia há quatro anos.
Rosa Maria Bravo Pimentão, 84 anos, conhecida no lar pela 'Dona Rosa', sofria de doença de alzheimer de arteriosclerose pelo que, muitas vezes, para prevenir uma situação como a que acabou por acontecer, amarravam-na a um cadeirão.
No dia 25 de Agosto, a idosa foi desamarrada pelas 17h30 para poder preparar-se para jantar. "Uma funcionária acompanhou-a à casa de banho e passados uns 15 minutos demos pela falta dela", contou César Fernandes. "Seriam 18h00, hora de jantar. Eu, a minha mulher a umas funcionárias entrámos nuns sete carros e andámos por aqui às voltas, mas não a encontrámos. Avisámos a família e a polícia, que no dia seguinte procedeu às buscas, com cães."
A GNR bateu a zona, também sem sucesso. Acabou por ser dona de uma quinta que a descobriu nas suas estufas de flores. O corpo foi transportado para a morgue do Hospital de Mafra onde será autopsiado.
ACUSAÇÕES DE NEGLIGÊNCIA
Desde o momento do desaparecimento, familiares da idosa mostraram-se profundamente indignados com o caso. "Não podem justificar isto com o regime de porta aberta. Teve de haver alguma negligência", frisou ontem ao CM uma familiar da octogenária, que preferiu não se identificar.
Por outro lado, alguns vizinhos, moradores na Venda do Pinheiro, defenderam-nos "que um lar tão grande devia ter pelo menos um segurança".
É que Rosa Pimentão saiu pelas traseiras da casa, aproveitando o portão estar só no trinco, pois "tinham acabado de entrar umas pessoas", justificou César Fernandes, proprietário do 'Novolar', que declina qualquer responsabilidade e mostra o contrato que é assinado pelos familiares dos utentes quando estes são internados.
O documento, na cláusula oito, indica: "Não tendo esta casa um regime de porta fechada e se por qualquer motivo o utente sair para o exterior e lhe aconteça qualquer imprevisto, mesmo com todo o cuidado das respectivas funcionárias, a gerência declina toda a responsabilidade."
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)