Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Enfermeira acusa PSP de lhe bater no Seixal

Tânia Duarte diz ter sido agredida quando tentava apresentar queixa contra uma discoteca onde lhe recusaram o livro de reclamações.
S.G. 10 de Setembro de 2019 às 09:16
A carregar o vídeo ...
Tânia Duarte diz ter sido agredida quando tentava apresentar queixa contra uma discoteca onde lhe recusaram o livro de reclamações.
Uma enfermeira do Hospital Garcia de Orta acusa um agente da PSP da Cruz de Pau, Seixal, de a agredir violentamente, sexta-feira, no interior da esquadra, quando tentava apresentar queixa contra uma discoteca onde lhe recusaram o livro de reclamações. Tânia Duarte, de 42 anos, foi internada de urgência com uma dilaceração no fígado. Segundo a família, chegou a correr risco de vida.

"O agente desferiu-lhe um murro na cara, abriu-lhe o sobrolho e deu-lhe pontapés na zona abdominal", conta ao CM Eleutério Duarte, pai da queixosa.

O PSP em causa terá depois pedido a um colega para chamar uma ambulância. Tânia Duarte foi constituída arguida por resistência e coação sobre funcionário. "Inventaram este processo-crime contra a minha cliente para tentar esconder o que lhe fizeram e justificar a agressão", diz ao CM o advogado Fonseca Gil.

O CM contactou a Direção Nacional da PSP, sem resposta. A família participou o caso à PJ de Setúbal.
Tânia Duarte Direção Nacional da PSP Seixal Lisboa Cruz Pau crime lei e justiça questões sociais polícia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)