Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Enfrentou assaltante e foi baleado na perna

Foram escassos os segundos que ficou frente-a-frente com o assaltante – ambos de arma em punho –, mas Eduardo Coelho, 53 anos, jamais os esquecerá. “Pensei que ia morrer”, confessa o agricultor, baleado numa perna ao tentar evitar um assalto à sua residência, em Vale Judeu, Loulé, praticado anteontem, por dois indivíduos que se puseram em fuga.
20 de Junho de 2005 às 00:00
Com medo de represálias, Eduardo Coelho prefere ocultar o rosto
Com medo de represálias, Eduardo Coelho prefere ocultar o rosto FOTO: Carlos Almeida
Eduardo Coelho, que recebeu tratamento hospitalar ao ferimento provocado pela bala do revólver usado por um dos assaltantes, foi surpreendido pelos criminosos quando se encontrava no quarto.
“Estava deitado quando ouvi um ruído que se assemelhava à queda de uma espingarda que guardo na sala. Levantei-me e fui ver”, revela ao CM. Passavam poucos minutos das 18h00 e o agricultor encontrava-se em casa com a sogra. A mulher, de 71 anos, apercebeu-se do assalto mas não conseguiu evitar o pior: “Só a ouvi gritar”, diz a vítima.
Ao tentar detectar a origem do barulho produzido na sala, Eduardo Coelho apercebeu-se que em cima da cama do filho estava uma ‘power box’. Situação estranha que o leva a tomar algumas cautelas até porque, seis dias antes, a casa fora alvo de uma tentativa de assalto que envolveu um tiroteio.
“Fui buscar um revólver e quando voltei à sala vi um dos ladrões a sair pela janela”, relata o agricultor, que diz ter sido surpreendido, nesse instante, por um segundo indivíduo armado. Sem hesitar apontou-lhe o revólver mas o outro foi mais rápido a apertar o gatilho. “Apontei-lhe a arma e disse-lhe para ficar quieto mas ele, sem apelo nem agravo, deu--me um tiro”, revela Eduardo Coelho que ainda fez dois disparos através da janela por onde o assaltante conseguiu fugir. “Depois perdi as forças e caí no chão”, recorda.
PORMENORES
TIROTEIO
No dia 13 deste mês, o agricultor de Vale Judeu já surpreendera um grupo suspeito nas imediações da sua casa. “Ouvi dois tiros e vi três homens a fugirem. O meu filho fez oito tiros de intimidação, mas eles desapareceram”, revelou.
ATIRADOR
Os assaltantes actuaram de rosto descoberto. Do atirador Eduardo Coelho recorda-se que teria cerca de 25 anos, era loiro, tinha cabelo curto e usava luvas de látex. A Polícia Judiciária de Faro esteve no local e investiga o caso com vista à captura dos dois criminosos.
CAÇADEIRA
Para além da ‘power box’ os assaltantes tentaram roubar uma caçadeira automática, que já tinham retirado da habitação antes de serem surpreendidos por Eduardo Coelho. Os homens fugiram pelas traseiras da habitação, onde supostamente terão escondido uma viatura para fugirem.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)