Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

ENTREGUEI-ME A DEUS

Maria Lopes Machado e o marido dormiam quando ontem de madrugada três homens armados os atacaram dentro de casa, na Póvoa de Santarém, exigindo dinheiro. Como num pesadelo, o casal, de 75 e 79 anos, viu-se amordaçado e atado de pés e mãos, enquanto ouvia ameaças de morte. Eram 02h15 e nenhuma fuga parecia possível. “Pensei que era o fim. Entreguei-me a Deus e despedi-me do mundo”, resumiu a idosa ao Correio da Manhã.
7 de Setembro de 2004 às 00:00
Actuando de cara tapada e com uma arma de canos serrados, os três assaltantes, alegadamente imigrantes de Leste, entraram por uma janela da cozinha, nas traseiras da habitação. Tinham a lição bem estudada: anularam as comunicações por telefone fixo e, ao saírem, destruíram o candeeiro do quarto e levaram o telemóvel e as chaves do jipe dos idosos, para atrasar um eventual pedido de socorro.
De acordo com a queixa apresentada à GNR de Santarém, o trio apropriou-se de sete mil euros em peças de ouro e 800 euros em notas, além de duas espingardas e uma pistola pertencentes ao casal. Não interessou, por exemplo, o material informático de apoio à loja de vinhos e ao restaurante que os idosos exploram ao lado de casa, o que demonstrará mais uma tentativa de diminuir riscos.
A família de Maria Lopes Machado e José Cândido suspeita que há pelo menos mais um indivíduo envolvido no assalto, que terá esperado na rua, ao volante de uma viatura, permitindo uma fuga rápida. Também acreditam que o grupo possuía um conhecimento mínimo da residência e de como entrar nela.
Após imobilizarem os idosos, os assaltantes vasculharam a casa de ponta a ponta à procura de dinheiro. De vez em quando iam ao quarto, vigiar e intimidar. “Se falas, mato-te”, terão ameaçado várias vezes, segundo Maria Lopes Machado.
Quando finalmente o medo acalmou, José Cândido acabaria por se conseguir libertar das cordas e lençóis que lhe atavam as mãos e os pés e foi pedir ajuda a um vizinho, que avisou as autoridades. A investigação do caso está entregue à Polícia Judiciária.
LÁGRIMAS E MEDO DE NOVOS CASOS
O assalto à Quinta da Ribeirinha é mais um dos que se têm verificado na zona de Santarém nos últimos tempos, de acordo com a GNR. A violência envolvida, no entanto, não deixou de ser notada na Póvoa de Santarém. Já lá vão os tempos em que esta era uma aldeia sem historial de crime e há habitantes que temem outros roubos num futuro próximo. Maria Lopes Machado procurava ontem refazer-se do choque de ser arrancada ao sono para um dos piores pesadelos da sua vida de 75 anos. Não evitou lágrimas ao recordar a dor infligida pelas cordas com que os assaltantes lhe imobilizaram as mãos. Um momento difícil que só o tempo e a eficácia das autoridades têm o poder de sarar.
CRIMES CONTRA IDOSOS PREOCUPAM
FLAGRANTE
Um homem de 74 anos, residente em Albufeira, foi assaltado na sua residência, em Março deste ano. Respondeu ferindo o ladrão a tiro de caçadeira e acabou detido pela GNR.
ATACADA
A 25 de Março, um homem de 25 anos atacou uma vizinha, de 73 anos, quando esta dormia sozinha na Rua residência, em Pardielas, uma aldeia no concelho de Ferreira do Zêzere.
BURLA
Uma viúva de 74 anos foi roubada por um homem que se apresentou como funcionário da Câmara e lhe levou 400 euros, em Janeiro. O caso aconteceu perto de Viana do Castelo.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)