Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
7

"Era uma mulher muito talentosa", conta mãe da portuguesa assassinada na Alemanha

Inês Terrahe era médica e artista plástica. Criou linha de sapatos 'vegan', que a mãe mostrou na CMTV.
José Carlos Marques e João C. Rodrigues 20 de Fevereiro de 2019 às 12:12
Médica e artista portuguesa Inês Terrahe foi assassinada na Alemanha
Inês Terrahe com alguns dos quadros que pintou
Inês Terrahe com algumas dos quadros que pintou
Médica e artista portuguesa Inês Terrahe foi assassinada na Alemanha
Médica e artista portuguesa Inês Terrahe foi assassinada na Alemanha
Inês Terrahe com alguns dos quadros que pintou
Inês Terrahe com algumas dos quadros que pintou
Médica e artista portuguesa Inês Terrahe foi assassinada na Alemanha
Médica e artista portuguesa Inês Terrahe foi assassinada na Alemanha
Inês Terrahe com alguns dos quadros que pintou
Inês Terrahe com algumas dos quadros que pintou
Médica e artista portuguesa Inês Terrahe foi assassinada na Alemanha

"Confirmo que a minha filha foi assassinada. Ele [o agressor] não queria largar a Inês, não aceitava o fim do namoro e fez isto. Estamos destroçados". Ana Barata Feio conta assim ao CM a morte de Inês Terrahe, de 32 anos, assassinada à facada em Frankfurt, na Alemanha, no último domingo. O autor do crime é um ex-namorado de Inês, de nacionalidade alemã, que foi detido poucas horas depois do crime.

"A minha filha era uma mulher muito talentosa. Tirou medicina – estava agora a tirar a especialidade em dermatologia – e trabalhava como artista plástica na Alemanha". Inês desenhou uma coleção de sapatos ‘vegan’ que a mãe vendia através da marca Ugly Cockroach  (um trocadilho com os apelidos de ambas, Barata Feio), com loja na Amadora.

Inês Terrahe nasceu na Holanda e tinha dupla nacionalidade. Formada em medicina na República Checa, fez o internato no Hospital Curry Cabral, em Lisboa e a especialização em imunoalergologia no Hospital de Santo António, no Porto.

Mas trabalhava como artista plástica e era especialista em caracterização para produções audiovisuais e de moda. no seu Facebook, é possível ver as máscaras e caracterizações que foi criando ao longo dos anos  Segundo relata num site em que divulgava o seu trabalho, a portuguesa "cresceu numa família de artistas (pintores, escultores e desenhadores)" e começou, ela própria, a pintar aos 6 anos. Ingressou em Bela Artes aos 17 anos e, no seu percurso de vida, cruzou sempre as artes com as ciências.


Em novembro de 2018,  Ana Barata Feio veio ao programa Manhã CM, da CMTV, apresentar os sapatos 'vegan', desenhados pela filha Inês. A médica dermatologista (tal como a filha, que acabava esta especialização na Alemanha) explicava então que a Ugly Cockroach faz calçado e malas sem recorrer a produtos de origem animal. E contou que Inês era vegan: "Não come nada que tenha origem animal". Daí que tenham criado juntos uma linha de sapatos feitos de cortiça, linho, microfibra têxtil e borracha natural, fabricados em São João da Madeira.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)