Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
4

Escalava prédios e fazia assaltos

Ladrão, de 27 anos, já foi condenado sete vezes por furto qualificado em habitações de quatro concelhos. Agora levou multa por roubar carro a vítima.
14 de Julho de 2013 às 01:00
Ao longo de três anos, arguido furtou bens em casas
Ao longo de três anos, arguido furtou bens em casas FOTO: Ricardo Cabral

Durante três anos, um homem de 27 anos dedicou-se a roubar artigos de valor do interior de casas em várias freguesias dos concelhos de Vila Nova de Gaia, Espinho e Ovar. Nesse período, Alexandre Folha foi condenado sete vezes com penas suspensas (entre sete meses e dois anos) ou ao pagamento de multas, pelo crime de furto qualificado. Já este mês, o arguido, que está preso à ordem de um processo de tráfico de droga, voltou a ser condenado pelo mesmo ilícito.

Segundo o processo judicial, para se introduzir no interior das habitações, Alexandre Folha utilizava chaves falsas, escalava paredes ou recorria ao arrombamento das portas.

No caso em que foi condenado este mês, no tribunal de Espinho, o homem arrombou a porta de uma casa, em Paramos, e, uma vez já no interior, começou a remexer nas divisões. Como não encontrou nada de valor dirigiu-se ao carro da vítima, estacionado no pátio, e roubou-o. Apanhou uma multa de 500 euros por furto do veículo e condução sem carta.

O caso remonta a 28 de maio de 2010 e refere a sentença, que o Correio da Manhã consultou, que Alexandre Folha, que irá voltar a ser julgado em breve por ter sido apanhado numa rede de tráfico de droga, apenas não foi sentenciado a uma pena maior porque o dono do automóvel assumiu em audiência "ter deixado as chaves na ignição".

Na altura, o proprietário do veículo chegou mesmo a oferecer uma recompensa para conseguir reaver o Ford Fiesta que o arguido tinha roubado.

portugal crime assalto roubo espinho tráfico de droga
Ver comentários