Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Escola nos Açores encerrada devido a "infestação de roedores"

Escola da Mãe de Deus acolhe cerca de 230 alunos.
4 de Janeiro de 2018 às 17:34
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
Sala de aula
O delegado de saúde de Ponta Delgada, nos Açores, confirmou esta quinta-feira à agência Lusa que "deu ordem de encerramento" da Escola Básica do primeiro ciclo de São Pedro até à próxima segunda-feira devido a uma "infestação de roedores".

Eduardo Cunha Vaz adianta que foi alertado esta quarta-feira à tarde para a situação na "Escola da Mãe de Deus", como é usualmente conhecida, onde terão sido encontrados "dejetos de roedores" e foram registados "alguns estragos".

O delegado optou assim por encerrar até à próxima segunda-feira a Escola Básica do Primeiro Ciclo e Jardim de Infância de São Pedro, em Ponta Delgada, que acolhe cerca de 230 alunos, para proceder à "desratização" e garantir que esta "seja feita com eficácia".

Na segunda-feira, o delegado de saúde concelhio vai proceder a uma "reavaliação" e posteriormente decidir se as aulas arrancam na terça-feira ou se a escola permanecerá "mais alguns dias encerrada".

Segundo o responsável, a escola apresenta "problemas estruturais" e "algumas portas de entrada para os roedores", nomeadamente por se tratar de "um edifício antigo" com "uma porta de madeira já ruída e janelas sem redes mosquiteiras".

A presidente do conselho executivo da Escola Básica Integrada Roberto Ivens, que tem a gestão da Escola Básica do Primeiro Ciclo e Jardim de Infância de São Pedro, admite "o histórico" relativamente ao aparecimento de roedores naquela escola.

"Sim já terá acontecido, aliás tem acontecido, os ratos proliferam pela ilha [de São Miguel] e não é novidade", admitiu Adelaide Gomes.

A responsável lembra que em dezembro tinham sido colocadas algumas armadilhas e que "só ao longo do dia [de ontem, quarta-feira] se foi apercebendo da gravidade da situação" e que por isso a escola funcionou normalmente.

"Logo de início achou-se que não seria nada de grave, depois mais para o final do dia é que se conseguiu perceber a gravidade da situação, mas desde cedo que estávamos em contacto com a Câmara Municipal [de Ponta Delgada] para que se atuasse", disse.

Para a presidente do conselho executivo, "a prioridade neste momento é garantir a segurança dos alunos" para que tudo "volte à normalidade", admitindo encontrar uma solução alternativa caso o delegado de saúde mantenha a escola encerrada na próxima semana.

"Haveremos de encontrar uma solução para minorar os danos provocados aos alunos", admitiu a responsável.

Adelaide Gomes lembrou que já foi lançado "um concurso internacional para a execução de uma obra de grande dimensão" para remodelar aquela escola centenária, que se espera que arranque ainda este ano.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)