Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Escraviza mulher durante 40 anos

Durante mais de 40 anos Maria Eugénia aceitou a tortura e escravidão sem nunca reclamar, até a GNR prender Manuel Pereira e colocar um ponto final no cativeiro da mulher, de 66 anos, residente em Serém de Baixo, Macinhata do Vouga, Águeda. Manuel da ‘Choila’, como é conhecido, de 80 anos, foi ouvido ontem pelo juiz de instrução criminal de Águeda, que lhe ordenou a saída da casa e proibição de contactar com a mulher. Maria foi levada para a psiquiatria dos Hospitais da Universidade de Coimbra.

18 de Fevereiro de 2012 às 01:00
Manuel Pereira obrigava mulher a trabalhar acorrentada a uma árvore
Manuel Pereira obrigava mulher a trabalhar acorrentada a uma árvore FOTO: Francisco Manuel

"Durante 44 anos ela sofreu em silêncio, quase como uma penitência, sempre a negar o inferno em que vivia", afirma Carminda Almeida, prima e vizinha de Maria. A mulher recorda histórias de quando Maria se juntou com Manuel: "Ele amarrava-lhe um cadeado aos tornozelos, colocava um tampão do pneu de um carro entre as pernas e depois prendia-a a uma laranjeira do quintal para ela cavar a terra".

Maria nunca teve conforto. "Dormia no chão e ele na cama", acrescenta Carminda ao Correio da Manhã. Ao longo dos anos, Manuel Pereira partiu-lhe os dentes, as costelas, o ombro e até lhe fez um golpe com uma machada. "Ela curava tudo em casa, porque ele nunca a deixou ir ao médico", diz. "Ele ia comer fora e trazia-lhe os restos. Depois, dizia-lhe ‘docinho, docinho, anda cá’, e fazia-a andar atrás dos ossos como um cão", acrescenta a prima da vítima, revoltada.

maria eugénia manuel choila Águeda Serém do vouga escravizada tortura
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)