Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Esfaqueou mulher grávida com quem vivia há anos

Saiu esbaforida de casa. “Ele quer matar-me”, gritava. Refugiou-se num café, mas o esforço foi em vão, pois acabou por ser brutalmente esfaqueada no abdómen pelo homem com quem partilhava a vida.
10 de Novembro de 2007 às 00:00
A vítima tentou refugiar-se num café do bairro, mas foi agredida dentro do estabelecimento
A vítima tentou refugiar-se num café do bairro, mas foi agredida dentro do estabelecimento FOTO: Natália Ferraz
Maria e João (nomes fictícios), viviam há cerca de dois anos no primeiro andar do número 9 da Rua Bento de Jesus Caraça, no Laranjeiro, em Almada. Pais de uma menina e de um menino, esperavam o terceiro filho.
“Ela estava grávida”, confirma uma vizinha, frisando que nunca ouvira uma discussão entre ambos.
“Ninguém diria que isto ia acontecer. Andavam sempre juntos e bem”, acrescenta, contando que ficou estupefacta quando viu, na noite de anteontem, Maria a sair do prédio a correr – “ia sendo atropelada por um carro” – e a gritar que o marido queria matá-la.
Em pânico, a mulher procurou protecção no Café Milenium. “Entrou e refugiou-se por detrás do balcão, mas o homem, muito alto e corpulento, saltou o balcão e espetou-lhe a faca na zona da barriga”, contou ao CM outra vizinha do casal.
Maria tem 21 anos, mas, segundo os vizinhos, não aparenta mais de 17. “É baixinha e magrinha e tem um ar frágil.”
Ferida com gravidade no abdómen foi transportada ao Hospital Garcia de Orta, onde foi operada e se encontra internada com “prognóstico reservado”. Não foi possível saber se a mulher terá ou não perdido o bebé.
João, com 29 anos e pintor da construção civil, foi detido pela PSP que apreendeu a arma do crime: uma faca com 21 centímetros de lâmina. Ouvido ontem no Tribunal de Almada, não são conhecidas as medidas de coacção.
Os filhos do casal estarão em casa de familiares, para onde foram levados antes da agressão.
PORMENORES
FECHADO PARA LIMPEZA
O Café Milenium, situado de fronte da casa em que residia o casal, esteve ontem fechado para limpeza, informava um papel afixado na porta do estabelecimento. Lá dentro um homem e uma mulher, alegadamente os proprietários - que recusaram falar ao CM - procediam à limpeza dos expositores e balcão.
TEMA DE CONVERSA
O crime, ocorrido no centro do Laranjeiro, freguesia do concelho de Almada, foi o centro das conversas entre os populares e vizinhos da vítima. “Uma rapariga com um ar tão frágil”, lamentavam, condenando a agressão do marido, que deixou todos surpreendidos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)