Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Espanca família e juiz liberta-o

Pena suspensa para homem que agredia mulher e os filhos. Crianças aterrorizadas
27 de Julho de 2013 às 01:00

Casou-se aos 25 anos, viveu 22 em comunhão de facto. Em 2011, a vítima decidiu finalmente pedir o divórcio. Separaram-se no papel, mas a falta de rendimentos obrigou-os a continuarem a partilhar a mesma residência. Mantiveram-se as agressões.

O Tribunal de Miranda do Douro, ontem, considerou que o facto de Eugénio Garcia ser primário o "livra" da cadeia. Quatro anos de pena, suspensa por igual período, com proibição de se aproximar das vítimas foi a sanção aplicada. Terá ainda de pagar três mil euros à mulher, dois mil ao filho mais velho e 1500 a cada um dos filhos menores.

O tribunal deu como provado que esta família viveu verdadeiros momentos de terror. Filomena, a mulher, foi sempre vítima de maus tratos. As agressões aumentaram em 2008, após ser-lhe diagnosticado um cancro na mama. Eugénio arranjou uma amante e, durante os tempos de internamento, não sossegava enquanto não espancava os filhos. Com ferros, com fios de eletricidade. Sempre de forma violenta e para deixar marcas.

Quando Filomena regressou a casa, após o tratamento longo a que foi sujeita, também ela foi alvo da raiva do homem. Bateu-lhe inclusive na zona onde acabara de fazer o transplante mamário. Ameaçou que a matava, mal não precisasse dela para tomar conta das crianças. Além deste processo, o suspeito tem outro pelo mesmo crime.

MIRANDA DO DOURO ESPANCADOS AGRESSÃO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)