Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
2

Espanhol procurado por homicídio e assaltos a bancos nos anos 90 apanhado em Portugal

Criminoso praticou os crimes entre os anos de 1990 e 1997, em Espanha. Ficou em prisão preventiva.
Correio da Manhã e Lusa 28 de Janeiro de 2020 às 09:09
Polícia Judiciária
Polícia Judiciária FOTO: Diogo Pinto
Um criminoso espanhol de 54 anos foi detido no passado dia 25 de janeiro, em Monção, no cumprimento de um Mandado de Detenção Europeu emitido pelas Autoridades Judiciárias de Espanha.

O homem procurado pela polícia espanhola para cumprimento de uma pena cumulativa de 30 anos de prisão cometeu vários roubos à mão armada em agências bancárias. É ainda suspeito da prática dos crimes de homicídio, posse ilegal de armas, munições e explosivos, sequestro, roubo com recurso à força, roubo com violência, tráfico de drogas, extorsão e simulação de delito.

O criminoso praticou os crimes entre os anos de 1990 e 1997, em Espanha.

Em comunicado, a polícia espanhola, que identifica o detido pelas iniciais G.P.D.S, refere que a detenção foi feita no sábado em Monção, no distrito de Viana do Castelo e destaca as suas "ligações ao terrorismo insurrecional anarquista" e "o amplo histórico criminal dentro e fora" de Espanha.

Na nota, a polícia espanhola especificou que "o homem foi detido pela Polícia Judiciária (PJ) portuguesa, na sequência de um mandado de detenção europeu emitido pelas autoridades judiciárias de Espanha", realçando a cooperação das autoridades policiais italianas que realizaram "buscas no seu país, com vista à detenção do homem".

A polícia espanhola adiantou que as investigações decorrem desde meados de 2019, sendo que "as primeiras informações apontavam para a possibilidade de se encontrar escondido em Itália, por estar ligado ao terrorismo anarquista da F.A.I./F.R.I daquele país".

A cooperação entre as polícias espanhola e italiana permitiu "descobrir que o homem residia na fronteira entre Espanha e Portugal". A colaboração com a PJ, adianta o Corpo Nacional de Polícia de Espanha, permitiu localização do homem e a sua detenção.

Foi presente ao Tribunal da Relação de Guimarães e encontra-se em prisão preventiva a aguardar extradição.

Em 2004, em Espanha, o homem "protagonizou uma fuga à prisão, fugiu para a Alemanha onde foi detido após um confronto armado com as autoridades policiais daquele país".

Cumprida a pena a que foi condenado na Alemanha, o homem foi repatriado para Espanha, tendo sido libertado pelas autoridades espanholas.

"Realizou conferências em todo o território espanhol sobre o movimento do terrorismo anarquista", refere a nota.

Apesar de viver na "clandestinidade, para fugir à justiça, G.P.D.S. não parou de publicar escritos e manifestos em sítios na internet ligados ao terrorismo anarquista, autoproclamando-se líder do movimento.

Portugal Monção Mandado de Detenção Europeu Autoridades Judiciárias Espanha crime lei e justiça polícia
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)