Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal

Espera por casa há nove anos

Maria Inês Martins, de 57 anos, espera há mais de nove anos por uma casa. Desde 2002, fez inúmeros pedidos à Gaia Social, mas não obteve nenhum resultado. A mulher, que sobrevive apenas com 170 euros, do rendimento mínimo, vive há 42 anos com o filho mais velho numa pequena casa situada numa ilha, em Vilar do Andorinho, Gaia, que não tem sequer casa de banho.

30 de Maio de 2011 às 00:30
Maria Inês Martins sobrevive com apenas 170 euros. Só tem uma sanita no exterior da casa
Maria Inês Martins sobrevive com apenas 170 euros. Só tem uma sanita no exterior da casa FOTO: Nuno Fernandes Veiga

"Só queria ter uma casa com casa de banho para ter a minha higiene diária. A senhoria recusa-se a fazer obras e assim não consigo viver mais. Já pedi ajuda à câmara, mas, até agora, nada", contou Maria Inês ao CM.

A mulher, que sofre de problemas nos pulmões e na coluna, é forçada a tomar banho numa bacia e apenas dispõe de uma sanita no exterior da casa. A agravar a situação está ainda o facto de mãe e filho terem perdido grande parte do que tinham num incêndio, em 5 de Novembro do ano passado.

"Tinha arrendado uma outra casa na mesma ilha para termos mais espaço. No entanto, há seis meses houve um incêndio. Perdemos quase tudo e tivemos que voltar para a casa inicial, que é muito pequena", lamentou a mulher.

Devido ao facto de a casa ser muito pequena, Maria Inês quase não recebe visitas dos dois netos. "Não há espaço para muita gente na casa, se estão cá duas pessoas já é muito apertado."

GAIA CASA DESALOJADOS INCÊNDIO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)