Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Esposende: Penas de 18 a 25 anos para cinco homicidas

O Tribunal de Barcelos condenou nesta terça-feira a penas entre 18 e 25 anos de prisão os cinco arguidos no caso do homicídio de um empresário de Vila Chã, Esposende, em Setembro de 2011.
30 de Outubro de 2012 às 15:38
Juca, apelidado em tribunal de "mulherengo" e "macho latino", era dono de um café e, de acordo com a acusação, andava sempre com muito ouro e muito dinheiro
Juca, apelidado em tribunal de 'mulherengo' e 'macho latino', era dono de um café e, de acordo com a acusação, andava sempre com muito ouro e muito dinheiro FOTO: d.r.

A 3 de Outubro, o Ministério Público (MP) tinha pedido uma pena "próxima" dos 25 anos de prisão para o casal acusado do homicídio do dono de um café de Vila Chã.

Nas alegações finais do julgamento, no Tribunal de Barcelos, o MP sublinhou que aqueles dois arguidos "devem ser punidos severamente, com uma pena próxima dos máximos legais", pelo crime de homicídio qualificado, em concurso com um crime de roubo.

O MP deu como provado que a vítima, conhecido por Juca e com 68 anos, "se relacionava" há mais de um ano com a arguida, de 48, e com a filha menor desta.

Juca, apelidado em tribunal de "mulherengo" e "macho latino", era dono de um café e, de acordo com a acusação, andava sempre com muito ouro e muito dinheiro.

No dia dos factos, 19 de Setembro de 2011, a arguida "montou uma cilada" a Juca, marcando com ele um encontro de cariz sexual num descampado em Palme, Barcelos, mas o empresário tinha à sua espera cinco homens, três dos quais munidos de armas de fogo.

vila chã esposende juca homicídio homicidas crime barcelos
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)