Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
9

Estrada velha atrasa chegada ao hospital

As populações de Santiago do Cacém e Vila Nova de Santo André estão descontentes com as acessibilidades ao Hospital do Litoral Alentejano, inaugurado em Fevereiro, e estão a ponderar a realização de iniciativas públicas de desagrado, como o corte de estrada ou uma marcha lenta, no IP8. Vítor Proença, autarca de Santiago, apoia os alentejanos descontentes.
16 de Maio de 2005 às 00:00
As manifestações de protesto, que a ocorrer serão no pino do Verão, de forma a terem mais impacto, contam com o apoio de Vítor Proença, que diz já por várias vezes ter contactado o Instituto de Estradas “sendo a resposta sempre a mesma: o silêncio.”
Em sua opinião, é inadmissível que quem queira ir ao hospital “tenha de percorrer uma estrada com mais de 60 anos, com uma faixa de rodagem mínima, sem passeios e perfeitamente desadequada para esta nova função.” E realça: “É preciso um acesso novo, com condições de segurança, até ao hospital que vai servir cerca de cem mil habitantes”.
Para o comandante dos Bombeiros Voluntários de Santiago do Cacém, Carlos Silva, a situação é “insustentável.” O socorrista lembra que a estrada não foi pensada para receber o fluxo de trânsito que por ali passa diariamente, nem para dar apoio a um hospital daquela envergadura.
“Quando transportamos um doente para as Urgências, em que a rapidez, que nalguns casos faz a diferença entre a vida e a morte, é fundamental, deparamos com muito trânsito, numa estrada cheia de curvas, a atravessar povoações, e em que existe um traço contínuo quase em toda a sua extensão. Era fundamental construir um acesso novo e directo ao hospital”, reafirma.
PROBLEMAS
LOCALIZAÇÃO
O hospital fica situado junto ao IP8, a poucos quilómetros da cidade de Santiago do Cacém. Na infra-estrutura, que ocupa uma área de sete hectares, foram investidos perto de 44 milhões de euros.
FALHAS
A falta de médicos e de enfermeiros é uma das causas que leva a que esta unidade funcione parcialmente. Para funcionar em pleno estima-se que demore mais dois anos.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)