Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
8

Estrangula três taxistas em ataques à noite

Ladrão atuava de madrugada e usava telemóvel da namorada para atrair as vítimas. Cumpria 15 meses de prisão suspensa.
Magali Pinto 5 de Fevereiro de 2019 às 01:30
Taxis
Taxistas
Taxis
Taxistas
Taxis
Taxistas

Os ataques a taxistas eram pensados e executados ao pormenor. O ladrão de 21 anos escolhia os alvos, fazia as chamadas para atrair as vítimas através do telemóvel da namorada e só atuava a horas tardias, ou seja, a probabilidade de ser apanhado pela polícia era menor. Também quanto mais tarde era o roubo menos pessoas andavam na rua - logo não havia testemunhas. O assaltante foi apanhado em Loures e a PSP já conseguiu fazer prova de pelo menos três ataques.

O ladrão usava sempre uma faca para amedrontar as vítimas, no entanto o modus operandi era quase sempre o estrangulamento das vítimas e consequente imobilização do motorista. O ladrão conseguiu ao longo dos últimos meses arrecadar várias centenas de euros. Não escapou à investigação da polícia e acabou detido. Foi a juiz e ficou em prisão preventiva - a medida de coação mais gravosa. O reconhecimento por parte das vítimas foi crucial para deter o assaltante. Para além destes três casos, este homem tinha ainda antecedentes criminais por roubos - estava, aliás, a cumprir uma pena de 15 meses, suspensa pelo mesmo período. A detenção foi feita pelas equipas de Investigação Criminal. A Polícia acredita que possam existir muitas mais vítimas e, por isso, a investigação do caso ainda não terminou.

Segundo a PSP "esta detenção é suficientemente impactante para que o fenómeno sofra decréscimos assinaláveis devido à dissuasão de grupos autores de ataques a taxistas". A namorada do assaltante foi também ouvida pelos agentes mas nada tem a ver com os assaltos.

PORMENORES
Cascais
No mês passado, um taxista de 67 anos foi esfaqueado nas mãos e braços por um ladrão, na Madorna, Cascais, ao resistir a um roubo. A vítima perseguiu o agressor e alertou os agentes da PSP.

Amadora
Gentil Gomes, taxista de 57 anos, natural de Viseu, foi morto à facada a 21 de maio de 2017 após ter resistido a um assalto violento na Amadora. O cadáver da vítima foi deixado junto ao táxi.

Viana do Castelo
Um motorista de táxi foi esfaqueado por um assaltante cadastrado, em janeiro de 2017, em Viana do Castelo. Bruno Rodrigues, o agressor, fugiu com 90 euros. Foi condenado a oito anos de prisão.



Ver comentários