“Eu não caía com uma bofetadinha”

Ercília Silva, tia de Ferreira da Silva, engenheiro que está a ser julgado por ter assassinado o ex-genro, a 5 de Fevereiro do ano passado, no parque da Mamarrosa, em Oliveira do Bairro, garantiu que foi agredida de forma violenta pela vítima, Cláudio Rio Mendes, no dia do crime.
23.10.12
  • partilhe
  • 0
  • +
“Eu não caía com uma bofetadinha”
Ercília Silva (à esq.), tia de Ferreira da Silva, depôs em tribunal Foto Amândia Queirós

"Eu não caía se fosse uma bofetadinha. Ele bateu-me com força, aliás, caí mesmo ao lado de um paralelo", disse. Ercília contou ainda que, naquele dia, agarrou a camisola de Cláudio, pois tinha medo que ele agredisse o engenheiro. Adiantou também que estava no chão quando ouviu os tiros, tendo, aliás, pensado que tinha sido o advogado a disparar. "Antes do estalo vi o Cláudio mexer no bolso, pelo que pensei que tivesse sido ele a disparar. Quando ele caiu, percebi tudo", recordou.

O depoimento da testemunha apresentou várias contradições, nomeadamente quanto à presença de dois amigos do engenheiro na visita durante a qual ocorreu o crime. Inicialmente, Ercília, que diz ter ido ao local a pedido da juíza Ana Joaquina, filha do homicida, garantiu que não sabia que aqueles estariam no parque. Minutos depois, admitiu que tinha conhecimento da presença de um deles.

O advogado da família da vítima confrontou ainda Ercília por ela andar sempre a seguir Cláudio quando o advogado estava com a filha, tendo a idosa chegado a ser apelidada de "carcereira", por ser ela a abrir e fechar os portões da casa. "Andava por perto, mas não o vigiava. Ele estava sempre à vontade com a filha", defendeu Ercília. n

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!
3 Comentários
  • De Joana Afonso23.10.12
    Esta família está toda "feita"... Só espero que apanhe pena pesada, e que os avós paternos consigam finalmente ver a neta!
    Responder
     
     4
    !
  • De João Oliveira23.10.12
    Pois mas o Advogado caiu com uma série de tiros. Entre tiros e bofetadas será pior a bofetada ou os tiros? Ainda o Homem vai ser desenterrado e considerado culpado e o Sr. Engenheiro um herói louvado. Filha Juíza?
    Responder
     
     2
    !
  • De Rui23.10.12
    Blá blá blá... puxou de uma arma, disparou várias vezes e matou. Homicídio qualificado, punível com pena entre os 12 e os 25 anos de prisão.
    Responder
     
     6
    !