Barra Cofina

Correio da Manhã

Portugal
6

Ex-diretor da Santa Casa de Ponte de Sor suspeito de crimes económicos sai em liberdade

Antigo diretor contabilístico ficou proibido de contactar com os elementos da Mesa Administrativa e funcionários.
Lusa 23 de Maio de 2019 às 23:59
PJ detém antigo diretor da Santa Casa de Ponte de Sor
Santa Casa de Ponte de Sor
Polícia Judiciária, xxx
PJ detém antigo diretor da Santa Casa de Ponte de Sor
Santa Casa de Ponte de Sor
Polícia Judiciária, xxx
PJ detém antigo diretor da Santa Casa de Ponte de Sor
Santa Casa de Ponte de Sor
Polícia Judiciária, xxx
Um antigo diretor e contabilista da Santa Casa da Misericórdia de Ponte de Sor (SCMPS), distrito de Portalegre, detido na quarta-feira por crimes económicos, saiu esta quinta-feira em liberdade após primeiro interrogatório, disse à agência Lusa fonte judicial.

De acordo com a mesma fonte, o arguido, indiciado por peculato e por participação económica em negócio, ficou sujeito à medida de coação de termo de identidade e residência, e proibição de contactos com os elementos da Mesa Administrativa e funcionários da SCMPS.

Segundo informação do Ministério Público (MP), o primeiro interrogatório judicial começou à tarde e, pelas 22h40, a Lusa constatou que a advogada e o seu constituinte abandonaram no mesmo carro o Tribunal de Instrução Criminal de Évora.

Em comunicado divulgado na quarta-feira, a Polícia Judiciária (PJ) revelou que, através da Unidade Nacional de Combate à Corrupção, realizou uma operação que culminou com a detenção de um "homem de 52 anos, suspeito da autoria dos crimes de peculato e de participação económica em negócio", sem mencionar o nome da instituição alegadamente lesada.

"Em causa estão atos praticados pelo suspeito, entre 2009 e 2018, enquanto exerceu as funções de diretor coordenador e contabilista certificado de uma Santa Casa da Misericórdia situada no distrito de Portalegre", acrescentava a nota.

A operação, efetuada no âmbito de um inquérito dirigido pelo Departamento de Investigação e Ação Penal de Évora, já permitiu recolher "fortes indícios" de que o suspeito "se terá apropriado indevidamente de valores pertencentes" à Santa Casa da Misericórdia onde desempenhava os cargos, "no montante até ao momento apurado de cerca de 300 mil euros".

Segundo a PJ, o homem "utilizava essas quantias para suportar todo o tipo de despesas pessoais, despesas do seu agregado familiar e despesas da sua empresa".

A operação da PJ envolveu a realização de duas buscas domiciliárias e de cinco buscas não domiciliárias, tendo sido "recolhidos importantes meios de prova dos factos em investigação", referia ainda o comunicado.

A investigação prossegue no sentido de determinar, em concreto, todas as condutas criminosas e o seu alcance, bem como apurar o prejuízo causado à Santa Casa da Misericórdia de Ponte de Sor.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)